Nova ortografia: principais mudanças

O objetivo do novo acordo ortográfico consiste em uniformizar e aproximar a gramática entre os nove países que têm a Língua Portuguesa como língua oficial. As principais mudanças você confere agora.

O novo acordo ortográfico foi realizado em 2009, com prazo de adaptação até 2012, e visa uniformizar e aproximar a gramática entre os 9 países que têm a Língua Portuguesa como língua oficial. As mudanças consistem principalmente na acentuação, uso no hífen, uso do trema e no alfabeto, exemplificadas a seguir.

Alfabeto

O Alfabeto passa a ter 26 letras oficialmente, ao serem incorporadas as letras “k”, “w” e “y”. Estas eram parte do alfabeto até serem retiradas em 1943 e, permaneceram, de forma inalterada após essa nova reforma, sendo utilizadas em medidas internacionais, como km e kW; em nomes de países e derivados destes, como Hong Kong e taiwanês; em nomes próprios como Bryan, Kate, Willian, Kafka e, por fim, em palavras estrangeiras, tais como “show”, “stand by” e “Kamikaze”. 

Acentuação

No quesito da acentuação, as alterações são relacionadas ao acento agudo e ao circunflexo. Aos acentos agudos as mudanças foram para os ditongos (encontro de duas vogais na mesma sílaba) e hiatos (encontro de duas vogais de sílabas diferentes) paroxítonas.

Os ditongos paroxítonos perderam o acento agudo. As monossílabas e oxítonas continuaram acentuadas.

Exemplos: idéia =  ideia; geléia = geleia, odisséia= odisseia, platéia = plateia 

Os hiatos paroxítonasformados por “i” e “u” perderam a acentuação, nos casos em que estes vêm após um ditongo.

Exemplos: feiúra = feiura;

Existe também o “acento diferencial”, acento agudo ou circunflexo utilizado para diferenciar palavras que possuem a mesma pronúncia. Ele deixou de existir, permanecendo apenas no verbo pôr e no passado pôde.

Exemplos: pára = para; pólo = polo; pêlo = pelo; pêra = pera

E, por fim,  o acento circunflexo deixou de ser usado em terminações ôo e êem.

Ex: enjôo = enjoo, zôo = zoo, lêem = leem, vêem = veem

 Trema

A trema é um sinal gráfico representado por dois pontos em cima da letra “u” cuja função era indicar uma pronúncia diferente das sílabas “que”, “qui” “gue” e “gui”. Após a nova ortografia ela também sofreu mudanças e deixou de existir, porém sem alterar a pronúncia das palavras. A trema permanece apenas nos nomes próprios de origem estrangeira e suas derivações.

Ex: lingüiça = linguiça, freqüente = frequente, anhangüera = anhanguera

Bündchen = Bündchen

Hífen

O hífen é utilizado para passar a ideia de união semântica, em palavras compostas que não possuem elementos de ligação, compostos de palavras iguais ou similares, palavras com apóstrofo, palavras derivadas de nomes de lugares e para designar animais e plantas.

Após a nova ortografia, o uso do hífen se reduziu. Ele continua sendo utilizado nos casos em que a segunda palavra se inicia pela letra “h”, se a palavra terminar com uma vogal e a seguinte for iniciada pela mesma vogal. Nos casos em que o prefixo terminar com uma letra diferente da que se vai iniciar e, nos casos em que a próxima palavra começar por r ou s, também se tirou o hífen, dobrando essas letras.

      Exemplo: gira-sol = girassol, para-quedas = paraquedas, manda-chuva = mandachuva, anti-rugas = antirrugas, arco-íris = arco-íris, segunda-feira = segunda-feira.