Onomatopeia: o que é, classificações e exemplos

A onomatopeia é uma figura de linguagem que é utilizada para transcrever ruídos, barulhos, sons e movimentos. Ela é classificada em pura ou vocalizada.

Onomatopeia: ilustração de conversa com balão constando reticências. Abaixo, é possível ler "Onomatopeia"

As onomatopeias puras são aquelas que imitam sons. - Foto: Concursos no Brasil

Estudar as figuras de linguagem, tão comuns na língua portuguesa, é necessário para que se possa ter uma dimensão maior a respeito dos recursos estilísticos utilizados nos mais diferentes tipos de textos (música, literatura, poesia, publicidade, entre outros) para criar uma leitura dinâmica, agradável e mais rica. Neste artigo, falaremos sobre a onomatopeia, uma das figuras de linguagem mais comuns em nossa vida cotidiana.

O que é onomatopeia

A onomatopeia é uma figura de linguagem que é utilizada para transcrever ruídos, barulhos, sons e movimentos. É muito comum o uso de onomatopeias em histórias em quadrinhos e charges, quando os artistas escrevem expressões como “nhac” e “toc toc”. Veja alguns exemplos e seus significados:

  • Dim Dong: som de uma campainha tocando;
  • Atchim!!: som de um espirro;
  • Nhac!: som de uma mordida;
  • Toc Toc: som de alguém batendo na porta;
  • Buáááá: som de um choro;
  • Bummmmm: som de algum tipo de explosão;
  • Cof Cof: som de tosse;
  • Trim Trim: som de telefone tocando;
  • Tic Tac: som dos ponteiros do relógio.

Classificações de onomatopeias

As onomatopeias são classificadas em dois tipos: pura ou vocalizada. Veja a diferença entre eles:

Onomatopeia pura

As onomatopeias puras são aquelas que imitam sons como os que usamos nos exemplos acima: atchim, cof cof, trim trim, buá, nhac etc. Elas são consideradas puras por representarem sons e ruídos, ainda que a escrita não seja totalmente fiel ao som que representa.

É fundamental, no caso das onomatopeias puras, que sua escrita não deixe dúvidas em relação ao que elas significam.

Onomatopeia vocalizada

As onomatopeias vocalizadas são aquelas palavras que foram adicionadas à gramática de forma oficial. Isso para indicar a caracterização de um som específico, como no caso de “cacarejar”, que representa o som produzido pela galinha.

Outro exemplo é “mugir”, que indica o som produzido pela vaca, e “uivar”, que é o som feito por cães e lobos.

Usos da onomatopeia

O uso das onomatopeias é muito comum, e, como se trata de uma figura de linguagem com características específicas, é fácil reconhecer quando esse recurso estilístico é aplicado. Confira a seguir.

Onomatopeias em histórias em quadrinhos

As onomatopeias são amplamente utilizadas nas histórias em quadrinhos, e isso acontece justamente devido à função que têm de imitar os mais diferentes tipos de sons. É bastante comum, inclusive, que alguns quadrinhos sejam inteiros ocupados por uma onomatopeia.

Digamos que a narrativa envolva duas pessoas que vão acabar brigando: é normal que, no quadrinho seguinte ao anúncio da briga, tenham apenas onomatopeias como “BANG”, “BOOM” ou “SPLAT!”.

Onomatopeias em músicas

O uso de onomatopeias em composições musicais também é frequente. Confira alguns exemplos nos seguintes versos:

  • “Bang, bang! Dei meu tiro certo em você!” (Bang, da cantora Anitta)
  • “Ha ha ha ha ha, mas eu tô rindo à toa!” (Rindo à toa, da banda Falamansa)
  • “Pluct, plact, zummm! Não vai a lugar nenhum” (Carimbador maluco, de Raul Seixas)
  • “Oi, tum tum, bate coração” (Bate coração, de Elba Ramalho).

Onomatopeias na poesia

Quando falamos em onomatopeias utilizadas na linguagem poética, o grande exemplo é o poema de Vinícius de Moraes e Paulo Soledade. Veja:

O Relógio
Passa, tempo, tic-tac
Tic-tac, passa, hora
Chega logo, tic-tac
Tic-tac, e vai-te embora
Passa, tempo
Bem depressa
Não atrasa
Não demora
Que já estou 
Muito cansado 
Já perdi 
Toda a alegria
De fazer
Meu tic-tac 
Dia e noite 
Noite e dia
Tic-tac
Tic-tac…

Outro poema com onomatopeias é o seguinte, de Mário Quintana:

Canção da garoa
Em cima do telhado
Pirulin lulin lulin,
Um anjo, todo molhado,
Soluça no seu flautim.

O relógio vai bater:
As molas rangem sem fim.
O retrato na parede
Fica olhando para mim.

E chove sem saber porquê
E tudo foi sempre assim!
Parece que vou sofrer:
Pirulin lulin lulin...

Onomatopeia na prosa

Até mesmo em textos feitos em prosa, as onomatopeias podem estar presentes para representar determinados tipos de sons. O trecho abaixo foi extraído da obra “O Cortiço”, escrita por Aluísio Azevedo. No excerto em questão, o autor utilizou a onomatopeia retintim para representar o som produzido pelas ferramentas quando se encostam:

  • “De um lado cunhavam pedra cantando; de outro a quebravam a picareta; de outro afeiçoavam lajedos a ponta de picão; mais adiante faziam paralelepípedos a escopro e macete. E todo aquele retintim de ferramentas, e o martelar da forja, e o coro dos que lá em cima brocavam a rocha para lançar-lhe fogo, e a surda zoada ao longe, que vinha do cortiço, como de uma aldeia alarmada; tudo dava a ideia de uma atividade feroz, de uma luta de vingança e de ódio.”

Onomatopeia na literatura brasileira

Além do exemplo acima, do autor Aluísio Azevedo, temos mais momentos nos quais a onomatopeia apareceu em obras da literatura brasileira. Abaixo, veja como a onomatopeia vocalizada foi empregada no texto “Vozes dos Animais”, de Pero Diniz:

  • Muge a vaca; berra o touro; grasna a rã; ruge o leão; o gato mia; uiva o lobo; também uiva e ladra o cão. Relincha o nobre cavalo; os elefantes dão urros; a tímida ovelha bale; zurrar é próprio dos burros. Sabem as aves ligeiras canto seu variar: fazem às vezes gorjeios, às vezes põem-se a chilrar. Bramam os tigres, as onças; pia, pia o pintinho; cucurica e canta o galo; late e gane o cachorrinho. A vitelinha dá berros; o cordeirinho, balidos; o macaquinho dá guinchos; a criancinha vagidos.

Outros exemplos de onomatopeia

A seguir, selecionamos mais alguns exemplos de onomatopeia, para que você tenha mais facilidade ao identificar esse tipo de figura de linguagem. Acompanhe:

  • Ratimbum: imita sons de instrumentos musicais (ra = caixa; tim = pratos; bum = bombo);
  • Sniff sniff: imita o som de uma pessoa chorando;
  • Uhuuu: imita um grito de felicidade ou empolgação;
  • Aiiiiii: imita um grito de dor;
  • Urgh: onomatopeia usada para se referir à sensação de nojo;
  • Aff: som que representa tédio ou raiva;
  • Grrrr: som que representa raiva;
  • Tchibum: som para representar mergulho;
  • Au au: imita o som do latido;
  • Cocoricó: imita o som do galo cantando;
  • Vrum vrum: representa som de motores (carro, moto etc);
  • Blém blém: representa o som do badalar de sinos.
  • Miau: imita o som do gato;
  • Pocotó pocotó: imita o som do galope;
  • Vupt: imita o som de um escorregão ou indica velocidade;
  • Cabrum: representa o som do trovão.

Curiosidades sobre a onomatopeia

Confira, a seguir, algumas informações curiosas a respeito do uso de onomatopeias:

  • No Japão, as onomatopeias são amplamente utilizadas, especialmente nos mangás. Escritas em hiragana e katakana, são classificadas de três formas diferentes: giseigos, que reproduzem vozes; gigongos, que representam sons no geral; e gijogos, que exprimem sentimentos;
  • Entre os artistas brasileiros que usam onomatopeias em suas músicas, destacam-se: Carmen Miranda, João Gilberto e Chico Buarque;
  • Entre as músicas brasileiras que usam onomatopeias, podemos citar como exemplos as seguintes: “Ai, se eu te pego”, de Michel Teló; “Créu”, de MC Créu; e “Eu quero tchu, eu quero tcha”, de João Lucas e Marcelo;
  • As onomatopeias são figuras de linguagem que fazem parte das figuras de som, cuja função é justamente a de conferir maior expressividade ao que é dito.

Vídeos sobre onomatopeia

Onomatopeia — O que é onomatopeia?

Neste vídeo do canal Explicando um Pouco Mais, a professora Ciça faz uma apresentação bem completa dessa figura de linguagem, trazendo exemplos de onomatopeias utilizadas para imitar sons produzidos por pessoas, animais, objetos etc.

Onomatopeia — Resumo de Português para o ENEM

Aqui, a professora Mercedes aborda o mesmo assunto e, além de explicar os conceitos de onomatopeia enquanto figura de linguagem, mostra como o conteúdo costuma aparecer nas provas do ENEM.

O que é onomatopeia?

O vídeo da professora Alda é um resumo breve do assunto trabalhado, sendo um ótimo material para momentos de revisão. Nele, ela explica o que é onomatopeia e mostra diversos exemplos de como essa figura de linguagem é utilizada na prática.

SOC — Síndrome Onomatopeica Corporal

Este vídeo é um material publicitário produzido pelo canal do Porta dos Fundos. O roteiro é feito de acordo com os trabalhos do grupo, o que significa que a definição de onomatopeia é apresentada com humor e descontração. O material também é um ótimo exemplo de como essa figura de linguagem pode ser utilizada em materiais publicitários.

Agora que você conheceu o conceito de onomatopeia e entendeu melhor como esse tipo de figura de linguagem é utilizado no cotidiano, nas artes e até na publicidade, fica mais fácil se lembrar do conteúdo quando for necessário. Esperamos que nosso material tenha ajudado em seus estudos!

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »