Cartas

Certamente você já deve ter enviado e recebido alguma carta, seja de amor, notificações ou até mesmo as temidas cobranças.

Qual a origem das Cartas?

A origem das cartas está muito além do que as pesquisas puderam alcançar… Fato é que estiveram presentes em cada momento histórico do mundo. No Brasi, por exemplo, na linda cidade de Porto Seguro (BA) foi tecida a primeira (e mais importante) carta do Brasil. Ela foi escrita pelos punhos de Pero Vaz de Caminha, no ano de 1500, e teve como destinatário Dom Manuel primeiro

A carta de Caminha continha 27 páginas e, 273 anos depois, uma cópia foi feita e encaminhada ao Brasil e teve o Rio de Janeiro como destino em solos tupiniquins.

Essa carta ganhou importância maior quando o Brasil obteve sua independência em 1822, tornando-se pública. Seu conteúdo valioso continha trocadilhos, poesia e uma expressão singular sobre a terra descoberta por Pedro Alvares de Cabral. Havia um sentimento de encantamento que foi organizado no papel para dizer, nas entrelinhas e nas próprias linhas, que nossa terra era um paraíso.

Veja como escrever uma carta:

Existem destinatários diferentes, portanto, modelos distintos de cartas, de acordo com seus respectivos. As que são formais precisam começar com pronome de tratamento adequado (v. Exa., senhor, senhora etc.) e devem conter um cabeçalho e estar muito bem organizada para o que pretende expressar.

A concordância merece atenção. Não é muito difícil escrever uma carta. Veja um exemplo nesta pequena carta:

Querido(a) leitor(a),

Como vai? Espero que muito bem. Eu queria começar agradecendo por estar lendo este simplório artigo e, através desta carta, dizer que sempre será bem-vindo(a) aos meus textos.

Caso queira escrever cartas, eu estou aqui ofertando (com muito prazer) minha colaboração. Talvez não possa ajudar em tudo, uma vez que para escrever uma carta de amor por exemplo, eu teria que estar aí batendo em seu apaixonado coração.

E se for uma carta de perdão eu teria que estar em suas lágrimas de tristeza para ter as mesmas sensações. O que poderia fazer seria encaixar umas palavras aqui ou ali para que seus sentimentos sejam devidamente expressados e o(a) destinatário(a) consiga ler, entender e assim estar ciente deles. 

Espero ansiosamente sua resposta para que possamos resolver esta questão da maneira mais adequada. Saiba que com muito afinco eu darei minha contribuição. 

um grande abraço,

Seu nome.

As cartas e os corações apaixonados

Nada mais romântico do que receber uma linda carta de amor, não é mesmo? Os apaixonados, até bem pouco tempo, eram os maiores confeccionadores de cartas.

Confessa: será que você já leu ou escreveu alguma carta de amor? Em tempos de internet, será que você já se declarou para alguém por e-mail? Pelas redes sociais? Por SMS? Ou, tradicionalmente, por uma bela carta?

Muito antes de serem consideradas “textão” do Facebook, numa época em que nem sabíamos que Mark Zuckerberg existia, as cartas eram nossas redes sociais em papéis. Tanto aqueles papéis de cartas (colecionáveis), quanto folhas convencionais, serviam para declarações de amor, ódio, felicidade, agradecimento. 

Os apaixonados trocavam cartas, assim como agora trocamos likes. Ainda hoje, mesmo sendo mais utilizadas em formatos PDF e tecidas sobre um teclado, elas são muito usadas. Para os mesmos fins, no entanto, nem todas são impressas, mas não deixam de ser cartas.

Conclusões finais:

As cartas foram precursoras dos demais gêneros literários e resistem bravamente, mesmo numa era em que áudios de WhatsApp e os vídeos do YouTube quase reinam como meios de comunicação.

Se você gostou deste artigo, deixe seu comentário, talvez eu escreva uma carta de agradecimento!

Por Érica Calefi