Misantropia e Filantropia

Misantropia e Filantropia são conceitos que identificam comportamentos e sentimentos contrários um do outro.

Qual a origem e significados das palavras misantropia e filantropia?

A misantropia é uma palavra de origem grega, onde “misos” ou “miseo” significa ódio, aversão e “anthropos” significa ser humano, portanto, misantropia significa ódio ou aversão ao ser humano ou à humanidade.

A filantropia também é uma palavra de origem grega, formada pela união do termo “filos” que significa amor e “anthropos” que significa homem, portanto, filantropia significa amor ao homem ou à humanidade.

Quais as características de cada um desses comportamentos? Como é o perfil do misantropo e do filantropo? Tudo isso veremos no texto a seguir.

O que é misantropia?

Como dito anteriormente, misantropia é a aversão ou ódio à humanidade, aos seres humanos. Em uma primeira leitura desse conceito é normal imaginarmos que pessoas que praticam a misantropia sejam violentas e extremistas, mas é preciso entender que há vários graus e tipos de misantropia.

O ódio ou aversão por um determinado grupo racial, por gênero, pela cor, pela religião, pela classe social ou pela opção sexual, são formas de misantropia que podem ser em níveis razoáveis que não geram atitudes violentas, mas apenas o isolamento social ou níveis mais extremos, quando vem acompanhada de atitudes de intolerância, preconceito e violência.

Atitudes como extermínios, ataques a pessoas ou lugares públicos, assassinatos, torturas, entre outras, são exemplos de misantropias extremas, o ódio extremo pela raça humana.

As pessoas que praticam a misantropia são chamadas de misantropo, são indivíduos que desenvolvem uma antipatia pelas outras pessoas, se sentem desconfortáveis no meio social, tem desconfiança de todos, possuem uma visão negativa do mundo e da humanidade e se tornam reclusos e fechados para relacionamentos interpessoais.

É comum relacionar misantropia a sentimentos como depressão, tristeza profunda e forte melancolia.

Os primeiros sinais, de que um indivíduo é um misantropo, surgem na infância com timidez excessiva, isolamento e dificuldade em fazer amizades. Os misantropos tem raciocínio rápido e lógico, são irônicos, sarcásticos e desconfiados.

É necessário entender que o nem todo misantropo é uma pessoas radical e violenta, que há pessoas que simplesmente preferem o isolamento social a conviver com a sociedade e que essa escolha deve ser respeitada.

Se houver sinais que a pessoa está com comportamento e atitudes extremistas, radicais ou violentas, é importante procurar orientação de um psicólogo ou psiquiatra para uma avaliação mais específica, a fim de verificar se a misantropia se tornou uma doença mental compulsiva e extremista.

O que é Filantropia?

A ideia de filantropia nasceu com Platão, na Grécia antiga, como uma forma de pessoas colaborarem com a manutenção da academia de Platão, onde se discutia pensamentos e ideias, no intuito de fortalecer a democracia e a liberdade.

No século IV, o imperador romano Juliano tenta trazer de volta o paganismo para o império e copia práticas da igreja católica para a nova religião, entre elas está a filantropia, que se torna uma variação da caridade pregada pelos cristãos católicos.

Na idade moderna, durante o século XVII, a Europa é marcada pelo iluminismo que traz uma nova ideia para a filantropia, com a reunião de grupos de cavaleiros para realizar ações em prol dos mais necessitados.

A partir dessa ideia, pode – se definir filantropia como a atitude de ajudar as pessoas através de ações solidárias como doações de roupas, sapatos, alimentos, dinheiros, entre outros.

A filantropia pode ser realizada por pessoas ou entidades sem fins lucrativos e não governamentais.

Como anteriormente citado, a filantropia está ligada a um sentimento altruísta, de amor à humanidade, com a finalidade de melhorar as condições socioeconômicas das pessoas menos favorecidas.

O filantropo oferece seu tempo, recursos materiais ou financeiros para ajuda humanitária ou preservação ambiental, sem obter retorno por essa ação.

O melhor representante da filantropia é o voluntariado, onde o voluntário presta serviços em favor da comunidade, sem receber remuneração, movido por convicções próprias e pela vontade de fazer a diferença na vida das pessoas.

É preciso diferenciar filantropia social da filantropia empresarial porque as duas são confundidas de forma errônea.

As empresas usam como marketing, ações de responsabilidade social, que é um conjunto de ações que tem como objetivo promover a melhoria da qualidade de vida da comunidade em que a empresa está inserida e também ações ambientais e sociais relacionadas com a sustentabilidade e rentabilidade da empresa.

Assim as empresas não praticam filantropia, elas realizam ações de dever cívico e de responsabilidade pelo impacto socioambiental que suas atividades podem gerar na comunidade localizada ao seu redor..

Essas ações refletem na boa imagem junto à sociedade e trazem aumento de venda de seus produtos.