Socialismo científico e socialismo utópico

Conheça duas correntes do socialismo que divergem entre si pela sua forma de atuação.

O socialismo científico e o socialismo utópico são duas correntes de pensamento socialista, mas com formas diversas de atingir seus objetivos. Enquanto que no socialismo utópico se tem um pensamento de uma sociedade ideal que fosse implementada de forma gradual, o socialismo científico tinha como base fazer uma análise crítica ao capitalismo.

O objetivo de ambas era o mesmo, mas podemos dizer que o socialismo utópico era mais romântico, uma vez que esperava que a burguesia por si só tivesse uma consciência social. Já o socialismo científico buscava a melhoria das condições de vida dos trabalhadores através de revolução e luta armada.

Socialismo utópico

Para começar a entender a ideia de socialismo utópico, precisamos entender o conceito de utopia. O termo utopia foi utilizado pela primeira vez pelo escritor inglês Thomas Morus em sua obra que levou este mesmo nome. Utopia se tratava de um país imaginário, onde tudo funcionava, com um governo que daria condições perfeitas para as vidas das pessoas, onde todos eram felizes, viviam em paz e tinham tempo livre para suas atividades de lazer.

Então quando falamos de utopia, estamos nos referindo a uma civilização ideal, fantástica e imaginária.

Mas é possível chegar a uma sociedade assim?

Para o socialismo utópico era. O socialismo utópico foi elaborado por Conde de Saint-Simon, François-Charles Fourier e Robert Owen.

Para eles, esta sociedade ideal era possível e para chegar nela não precisaria de força física ou luta armada. A sociedade por si só iria, de forma pacífica, se organizar de forma a diminuir as desigualdades sociais.

Em outras palavras, eles acreditavam que as desigualdades sociais serão alcançadas de forma pacífica, através da boa vontade da burguesia.

Os burgueses, que dominavam o capital, iriam de alguma forma perceber que seria melhor para toda a sociedade se a distribuição de renda fosse realizada de forma mais igualitária.

Este pensamento foi totalmente criticado pela outra corrente, a do socialismo científico. A ideia central do socialismo utópico se baseava no iluminismo, tendo como base o filósofo Jean-Jacques Rousseau.

Para Rousseau, a propriedade privada era o principal motivo para existirem as desigualdades sociais. Assim, os socialistas utópicos tomaram para si esta premissa, tendo como principal ideal a defesa da igualdade.

Um dos principais nomes da corrente socialista utópica, Robert Owen, era burguês e dono de grandes indústrias, herdadas de seu pai. Ele iniciou a implantação de seu pensamento (na qual a burguesia iria tomar a iniciativa de distribuir a renda de maneira mais igualitária) quando diminuiu a absurda carga horária de trabalho, aumentou os salários e deu habitação para os seus funcionários.

Isso serviu não apenas para aumentar a sua popularidade pessoal, mas também para popularizar o seu pensamento.

Socialismo científico

Os fundadores do socialismo científicos são Karl Marx e Friedrich Engels. O termo científico tem como base no fato de ser necessário realizar uma análise científica da sociedade, ao contrário da sociedade utópica.

Este pensamento surge no século 19, em meio à revolução industrial. Neste período a sociedade enfrentava muitas dificuldades, principalmente no que se referia às diferenças de classes.

É em meio a esta revolução que é lançado em 1948 o “Manifesto do Partido Comunista” por Marx e Engels. Esta obra analisou a história das lutas entre as classes burguesas e proletárias.

Outro livro importante para o socialismo científico foi a obra “O capital”.

O movimento socialista científico criticava duramente o pensamento utópico. A ideia de revolução pacífica não poderia existir, devendo ser substituída por uma força revolucionária da classe trabalhadora.

O pensamento de uma sociedade científica

Todo o pensamento do socialismo científico não é baseado em um ideal ou em um pensamento utópico (que jamais fosse alcançado). Para Marx e Engels chegarem a seu pensamento, ambos realizaram todo um estudo científico da sociedade.

Eles estudaram a história humana, a escravidão e a evolução das lutas de classes. Baseado neste estudo científico, chegaram nas bases de sua teoria, que afirmava que se classe trabalhadora não se juntasse e não iniciasse uma revolução, mesmo que armada, contra aqueles que detinham o poder (os burgueses), jamais conseguiriam as mudanças que necessitavam.

Duas maneiras para se chegar a um mesmo fim

Não se pode dizer que o socialismo utópico é oposto ao socialismo científico. Ambos são socialismo, ou seja, os dois pregavam um sistema econômico e social na qual os meios de produção pertenceriam aos trabalhadores.

O que muda é a forma de agir para se atingir estes objetivos. Enquanto que para os utópicos isso aconteceria naturalmente, para os científicos era necessário agir, fazendo isso através de revoluções.