Auxílio emergencial em 2022 será uma realidade? Entenda

Em entrevista, Bolsonaro não descartou uma possível prorrogação do auxílio emergencial para 2022. Segundo ele, isso dependerá da situação da pandemia.

Na última sexta-feira (30/07), o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre a possibilidade de continuar com o auxílio emergencial em 2022. Segundo ele, o benefício pode ser estendido mais uma vez caso a pandemia de coronavírus ainda esteja instalada no país. A fala foi dada durante uma entrevista à Rádio Rock, em São Paulo.

“Somente no ano passado, nós gastamos em torno de R$ 300 bilhões com o auxílio emergencial. Isso equivale a mais de 10 anos de Bolsa Família. Neste ano, demos mais quatro meses de auxílio. A gente espera que, com o término da vacina, com a questão da pandemia sendo dissipada, não seja mais preciso isso. Mas, se porventura continuar, nós manteremos o auxílio emergencial [em 2022]”, disse.

Enquanto isso, o presidente afirmou que o governo está trabalhando para turbinar o Bolsa Família. Entre as mudanças no programa social está a inclusão de novos beneficiários, aumentando o público atendido de 14 milhões de pessoas para 17 milhões. Além disso, o planejamento prevê um acréscimo no valor médio pago, podendo chegar a R$ 300.

Auxílio emergencial em 2022 pode seguir o modelo atual

Apesar de não estar nada confirmando ainda, é possível que uma nova prorrogação do auxílio emergencial para 2022 siga o modelo pago em 2021. Atualmente, o benefício possui valores variáveis de acordo com o perfil dos cadastrados. Sendo assim, o governo está pagando:

  • R$ 150 para quem vive sozinho;
  • R$ 375 para mães solteiras chefes de família;
  • R$ 250 para as demais famílias.

Inicialmente, a previsão era de quatro parcelas que iam de abri até junho. No entanto, com o aumento de novos casos de COVID-19, o governo optou por mais três rodadas. Neste mês de agosto, será paga a 5ª parcela e estima-se que as transferências se encerrem em outubro.

“A economia está voltando agora. Em junho, houve a criação de mais 309 mil empregos. A economia formal está indo bem, mas a informal ainda não. Mas a questão do auxílio emergencial e do Bolsa Família temos que, realmente, pensar nisso. Gastar dinheiro nisso ou se endividar, que é a palavra mais correta, para atender aos mais necessitados até que a economia volte a sua normalidade”, pontuou.

Vacinação "está indo muito bem", diz Bolsonaro

Além de falar sobre um possível auxílio emergencial em 2022, durante a conversa na Rádio, Bolsonaro também comentou que acredita na possibilidade de uma nova campanha de imunização contra o coronavírus para o próximo ano. “Não se tem certeza de qual é a validade da vacina. Em média, é um ano. Nós achamos que esse vírus não vai nos deixar”, afirmou. 

O presidente afirmou que o processo de vacinação no país neste ano "está indo muito bem". Ele acredita que, até novembro, todos os brasileiros estarão imunizados. “Tirando os países que produzem as vacinas, o Brasil é o melhor de todos. A nossa programação foi bem feita e está sendo executada, e grande parte das empresas tem honrado esse contrato de entregá-las na época acertada”, disse.

Ele explicou também que o governo quer disponibilizar mais vacinas, entre elas a que está sendo desenvolvida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. “Assinamos também um contrato de transferência de tecnologia com a AstraZeneca, e nas próximas semanas, além do IFA, nós poderemos fabricar a vacina da AstraZeneca no Brasil. Isso diminui bastante o custo para nós, que é um custo altíssimo”, explicou.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »