Aneel adia reajuste tarifário na conta de luz; entenda motivo

Reajuste que estava previsto para o primeiro semestre de 2021 foi adiado pela Aneel pelo receio do impacto no bolso do consumidor.

Nesta terça-feira (20/04), a Aneel decidiu adiar os reajustes tarifários na conta de luz. Desta forma, as companhias de energia elétrica não poderão fazer alterações nos valores cobrados ao consumidor, ao menos por enquanto.

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a nova medida foi tomada com o objetivo de impedir que o consumidor sofra grandes mudanças na hora de pagar a conta. O entendimento é que a crise econômica provocada pela COVID-19 está sendo sentida na maior parte da população.

Por isso, em comunicado oficial, a Aneel afirmou que a decisão foi tomada depois de ouvir as empresas. "A Agência, em comum acordo com o setor, com os segmentos de geração, de transmissão e distribuição, está tomando medidas para que a gente tenha modicidade tarifária", afirmou na nota.

Falando em Aneel, confira as novidades do Concurso Aneel com 169 vagas solicitadas!

Confira quais as empresas que serão afetadas

De acordo com a determinação da Aneel, as seguintes empresas serão impactadas e impedidas de realizar os reajustes:

  • CPFL;
  • Energisa;
  • Enel;
  • Neoenergia.

Sendo assim, recomenda-se que o consumidor fique de olho nos valores da sua conta e que entre em contato com a Aneel em caso de alterações. É possível falar com a Agência por meio do telefone 0800 727 2010.

Pressão por reajustes continua

Mesmo com o acordo de se adiar os reajustes, a pressão contínua, pois as empresas alegam que estão tendo prejuízos. Por isso, uma reunião foi marcada para esta quinta-feira (22/04). Na pauta, estará em discussão três pedidos de revisão tarifária e ainda um debate geral sobre as tarifas.

Não foram dadas mais informações sobre o posicionamento da Aneel em relação aos pedidos das distribuidoras de energia elétrica.

Vale lembrar que parte do reajuste se deve principalmente pela alta do IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado) nos últimos meses atrelado a alta do dólar. De acordo com consultorias ouvidas pela agência de notícias Reuters, os aumentos na conta de energia podem ser de mais de 10% até o fim de 2021.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »