Após apoio, confeiteira humilhada vai ajudar mulheres a terem renda

Ângela foi humilhada pela cliente por ter cobrado taxa de entrega. Agora, após receber apoio de muitas pessoas, quer fazer a diferença na vida de mulheres.

Após receber apoio por ter sido humilhada pela sua cliente, a confeiteira Ângela Oliveira criou projeto para ajudar outras mulheres a terem uma renda! A profissional, de 27 anos, já está há quatro meses trabalhando com encomendas de bolos em Marília, interior de São Paulo.

Desempregada em virtude da crise ocasionada pela pandemia da COVID-19, Ângela começou a se reinventar na gastronomia para sustentar os seus dois filhos pequenos e pagar o aluguel da casa em que moram. Entretanto, no início de agosto, ela acabou sendo humilhada por uma cliente ao cobrar taxa de dois reais para entregar o pedido.

Durante a troca de mensagens, a cliente chamou Ângela de “louca” e que “ela não conseguirá nada da vida dessa maneira”. A confeiteira havia explicado que, em razão do horário, seria necessário cobrar o valor para que o motoboy pudesse fazer o delivery.

“Isso me machucou demais, chorei muito, fui forte pelos meus filhos, eles precisam de mim”, desabafou Ângela. A história da mulher humilhada acabou chegando aos ouvidos dos responsáveis pelo “Razões para Acreditar”.

Acompanhe a matéria completa e conheça a incrível história de Ângela Oliveira. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como notícias e artigos. Nós temos materiais feitos para quem quer se aventurar no universo dos concursos públicos.

Mudança de vida e retribuição

A equipe do site decidiu criar uma vaquinha online para que confeiteira pudesse comprar ingredientes e utensílios para o trabalho, além de auxiliar nos custos de aluguéis atrasados durante a pandemia.

Essa rede de apoio reverberou por diversas partes do país, fazendo com que 1.555 pessoas doassem o total de R$ 66,7 mil para Ângela. E, agora, a confeiteira está disposta a transformar a vida de outras pessoas também. Ângela decidiu, por meio de seu perfil profissional, ajudar mulheres a prepararem seus próprios bolos e doces para vender.

Ela também contou que, depois de sua história viralizar, muitas mulheres entraram em contato para saber como foi superar as infelizes adversidades que havia passado, incluindo um relacionamento abusivo. “Foi a forma que achei de levar a corrente do bem que me alcançou em frente e abençoar outras vidas”, disse a confeiteira para a equipe do Razões para Acreditar.

Conheça a trajetória da confeiteira humilhada por cliente

Há cerca de seis meses, Ângela Oliveira se mudou para a cidade paulista de Marília. Ela tomou essa decisão após sofrer ameaças do ex-marido, tendo em vista que ambos viveram juntos durante 10 anos. Sair de Sorocaba/SP foi a maneira que encontrou para se proteger e recomeçar a sua vida ao lado dos filhos pequenos.

“Depois de um ano separada dele, comecei a sofrer ameaças de morte. Ele me perseguia e dizia que tiraria meus filhos de mim”, informou para a equipe do site Razões para Acreditar. Ângela havia garantido uma medida protetiva para recomeçar a vida em Marília, mas acabou sendo demitida do emprego de Recepcionista em razão da crise ocasionada pela pandemia.

Foi quando ela viu nos bolos uma maneira de ter a sua própria renda, já que não havia recebido as parcelas do auxílio emergencial. “Faço bolos todos os dias e vendo de porta em porta ou quando tem pedido”, contou. A confeiteira aprendeu a se virar na cozinha com vídeos do Youtube sobre a confecção de bolos e doces. E, assim, ela aprendeu a assegurar um dinheirinho em tempos de incerteza econômica.

"Eu nunca tinha feito bolo antes, mas me vi no desespero de ter aluguel para pagar e as contas chegando. Pedi R$100 reais emprestado para minha mãe e comecei primeiro com recheios que eu sabia fazer como brigadeiro e prestígio", contou ao site Razões para Acreditar. Agora, após ser agraciada pela corrente do bem, ela afirmou que vai ajudar outras mulheres a prepararem bolos e doces para vender.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »