TRT 22ª Região/PI prorroga concurso por mais dois anos

A prorrogação passa a contar a partir do dia 13 de março de 2013, quando venceria o prazo de validade inicial. 

O Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região (TRT/PI) prorrogou, por mais dois anos, o concurso público de 2010 para servidores. A decisão foi tomada pelo Pleno na última sessão administrativa, realizada no dia 21 de fevereiro de 2013, atendendo a uma solicitação de um grupo de candidatos habilitados no certame.

De acordo com o edital, o prazo de validade do concurso era de dois anos, podendo ser prorrogado por igual período, a critério do Tribunal. Os candidatos habilitados no último concurso público podem ser chamados quando surgirem vagas decorrentes de exoneração, aposentadoria, criação de novos cargos e vacância de cargos efetivos do TRT/PI.

A prorrogação passa a contar a partir do dia 13 de março de 2013, quando venceria o prazo de validade inicial.

Do portal do TRT/PI

***

Aprovados 15 cargos no TRT 22ª Região - PI (30/11/2012)

Comissão de Trabalho aprovou a criação de 15 cargos de tecnologia da informação no Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região, com sede em Teresina.

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou no dia 21/11 o Projeto de Lei 4218/12, do Tribunal Superior do Trabalho, que cria 15 cargos de provimento efetivo no Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região, com sede em Teresina, no Piauí. O PL tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Pela proposta, serão 13 cargos de analista judiciário e dois cargos de técnico judiciário, todos na área de tecnologia da informação. O relator, deputado Eudes Xavier (PT-CE), recomendou a aprovação e elogiou o esforço de informatização do processo trabalhista. "Trata-se de providência que, quando concluída, trará um grande alívio não apenas aos juízes, advogados e membros do Ministério Público, como também, e mais relevante, aos que acionam o foro trabalhista", afirmou.

Segundo o TST, a criação dos cargos assegura o cumprimento de resolução do Conselho Nacional de Justiça que institui, entre outros dispositivos, um quantitativo mínimo de profissionais de tecnologia da informação e comunicação para a estrutura do Poder Judiciário.

O tribunal argumenta que há falta de servidores capacitados no TRT da 22ª Região para oferecer suporte técnico ao Processo Judicial Eletrônico - sistema que se encontra em processo de implantação em todas as instâncias do Judiciário trabalhista.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Compartilhe