Auxílio emergencial 2021: calendário da 1ª parcela para Bolsa Família

A primeira parcela do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família, com valor médio de R$ 250, será transferida a partir do dia 16 de abril. Saiba os detalhes.

Com a aprovação do auxílio emergencial para 2021, a Caixa deverá fornecer novos pagamentos para as pessoas de baixa renda. Os beneficiários do Bolsa Família, ao que tudo indica, vão receber a primeira parcela a partir do dia 16 de abril. Dessa maneira, as datas vão seguir o calendário tradicional do programa, levando em consideração o último dígito do Número de Identificação Social (NIS).

Assim como foi no ano passado, os depósitos serão feitos de maneira escalonada e sempre nos últimos 10 dias úteis de cada mês. “Com a aprovação da PEC Emergencial pelo Congresso Nacional, ficam viabilizados os recursos, no valor de R$ 44 bilhões, para que o governo federal possa editar uma medida provisória e fazer chegar a milhões de brasileiros o auxílio emergencial”, informou o Ministério da Cidadania.

A previsão é de que o governo garanta pelo menos quatro parcelas para os beneficiários do Bolsa Família. No entanto, o auxílio emergencial 2021 somente contemplará um benefício mensal por grupo familiar, sem quaisquer possibilidades de acúmulos. Será possível movimentar o dinheiro pelo aplicativo Caixa Tem (Android e iOS), bem como sacá-lo nas agências bancárias e rede de lotéricas.

Auxílio emergencial 2021: confira o calendário da 1ª parcela para Bolsa Família

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que as parcelas do auxílio emergencial 2021 terão valor médio de R$ 250. Por outro lado, as quantias vão ser maiores para mulheres provedoras do lar (R$ 375) e menores para aqueles que moram sozinhos (R$ 150). Confira, abaixo, o calendário da primeira parcela do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família:

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 116 de abril de 2021
NIS 219 de abril de 2021
NIS 320 de abril de 2021
NIS 422 de abril de 2021
NIS 523 de abril de 2021
NIS 626 de abril de 2021
NIS 727 de abril de 2021
NIS 828 de abril de 2021
NIS 929 de abril de 2021
NIS 030 de abril de 2021

Bolsa Família em 2021: novos requisitos e inserção de mais unidades familiares

O governo estuda ampliar o Bolsa Família após a concessão das novas parcelas do auxílio emergencial. Além de um novo valor para os repasses médios (de R$ 192 para R$ 200), o programa deverá contar com critérios diferentes para o recebimento das parcelas. Hoje, a situação de extrema pobreza é considerada quando as pessoas possuem renda mensal até R$ 89,00 por membro.

Os grupos de pessoas pobres são aqueles que recebem até R$ 178,00 por membro. Essas margens poderão subir para R$ 92,00 e R$ 192,00, respectivamente. De acordo com apurações feitas pelo jornal O Globo, os técnicos do Ministério da Cidadania também querem incluir mais 300 mil cadastros no Bolsa Família. Essa ampliação, por outro lado, não será suficiente para suprir a demanda.

Até porque pelo menos um milhão de unidades familiares ainda estão na lista de espera e aguardam parecer do governo brasileiro. “O programa já está pronto, foi todo trabalhado, já foi apresentado ao presidente (Jair Bolsonaro), só falta o ok, e isso não tem a ver com a grana, até porque temos previsto para o ano que vem 34,8 bilhões de reais”, disse o antigo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, em coletiva de imprensa do ano passado.

Veja, abaixo, outras mudanças que poderão ser implementadas no novo Bolsa Família de 2021:

  • Prêmio anual de R$ 200 para os melhores estudantes;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de prêmio anual de R$ 1.000, para alunos com bom desempenho no setor de ciência e tecnologia, bem como em atividades esportivas;
  • Auxílio-creche mensal de até R$ 200 para as mães beneficiárias no Bolsa Família;
  • Liberação de microcrédito digital produtivo para beneficiários que sejam micro ou pequenos empreendedores.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »