Auxílio emergencial 2021: pagamento pode começar até 6 de abril; VEJA

De acordo com o ministro da Cidadania, o auxílio emergencial 2021 começará a ser pago no dia 5 ou 6 de abril. Parcelas entre R$ 150 e R$ 375. Saiba mais.

Quando começa o pagamento do auxílio emergencial 2021: enquadramento em mão segurando celular. Na tela do aparelho, é possível ver a página do auxílio emergencial

O primeiro pagamento do auxílio emergencial 2021 deverá ser liberado no mês de abril. - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O auxílio emergencial já foi aprovado pelas casas legislativas e, em breve, a Caixa deverá liberar o calendário de transferências. Como antecipado pelo ministro da Cidadania, João Roma Neto, o pagamento deve começar até o dia 06 de abril de 2021. Essa data valerá para todos os beneficiários que serão atendidos pela nova rodada de parcelas, com exceção dos inscritos no Bolsa Família. Nesse caso, o calendário seguirá as datas habituais do programa em questão.

"O calendário do pagamento nós vamos divulgar até o início da próxima semana, mas já posso antecipar que o pagamento ocorrerá a partir do início do mês de abril. Aproximadamente entre 5 e 6 de abril, nós já buscamos viabilizar o início do pagamento do auxílio emergencial", informou o ministro da Cidadania na última segunda-feira (22/03), durante entrevista para uma rádio baiana.

De acordo com a medida provisória nº 1.039, o auxílio emergencial 2021 será destinado somente para as pessoas que receberam os pagamentos do ano passado. A nova lista de beneficiários, então, se baseará nos cadastros antigos do benefício, no sentido de avaliar se ainda possuem direito aos pagamentos do auxílio emergencial. Tendo isso em vista, o principal critério diz respeito às rendas mensais dos cidadãos atendidos em 2020.

Quando começa o pagamento do auxílio emergencial 2021?

De acordo com informações preliminares, o primeiro pagamento do auxílio emergencial 2021 deverá começar no mês de abril. Veja a relação de datas previstas até então:

  • Beneficiários não inscritos no CadÚnico e já inscritos em plataformas digitais da Caixa: o pagamento deverá começar no dia 5 ou 6 de abril de 2021;
  • Integrantes do CadÚnico: início em 5 ou 6 de abril de 2021;
  • Beneficiários do Bolsa Família: calendário seguirá as datas habituais do programa. Dessa maneira, a primeira parcela do auxílio emergencial deverá começar a ser paga no dia 16 de abril de 2021.

Vale lembrar que a nova rodada de pagamentos, de início, será destinada somente para quem recebeu as parcelas do ano passado. De acordo com a MP do programa, os cidadãos que passaram a ter direito, como os que perderam emprego no início de 2021, serão atendidos se sobrarem recursos após a concessão de todos os pagamentos. Mais informações deverão ser anunciadas ao longo das próximas semanas.

Primeira parcela do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família

Os beneficiários do Bolsa Família vão receber a primeira parcela do auxílio emergencial 2021 a partir do dia 16 de abril. Assim sendo, as datas vão seguir o calendário tradicional do programa, levando em conta o último dígito do Número de Identificação Social (NIS). Os depósitos serão feitos como no ano passado: de maneira escalonada e sempre nos últimos 10 dias úteis de cada mês.

Veja quando a primeira parcela do auxílio emergencial 2021 será paga:

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 116 de abril de 2021
NIS 219 de abril de 2021
NIS 320 de abril de 2021
NIS 422 de abril de 2021
NIS 523 de abril de 2021
NIS 626 de abril de 2021
NIS 727 de abril de 2021
NIS 828 de abril de 2021
NIS 929 de abril de 2021
NIS 030 de abril de 2021

Qual é o valor definido para o auxílio emergencial 2021?

A medida provisória sobre o auxílio emergencial, liberada no dia 18 de março de 2021, trouxe as principais regras da prorrogação. Conforme o documento publicado no Diário Oficial da União, a meta do governo é de conceder quatro parcelas com valores variáveis. Tudo vai depender das composições familiares dos beneficiários, como já havia sido explicado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Confira os valores que serão transferidos para aproximadamente 45,6 milhões de unidades familiares:

  • Quatro parcelas de R$ 150 para as unidades familiares com apenas um membro (cerca de 20 milhões de famílias);
  • Quatro parcelas de R$ 375 para as mães chefes de família (5,8 milhões de famílias);
  • Quatro parcelas de R$ 250 para os demais beneficiários do programa (16,7 milhões de famílias).

"Óbvio que não são valores suficientes, não são valores que podem propiciar conforto, mas é o que foi viável, disponibilizado pelo Congresso Nacional. O governo vai executar para que chegue ao brasileiro que mais precisa. Para algumas famílias, pode parecer pouco. Mas, para o brasileiro mais necessitado, que está sem poder sair de casa para buscar o sustento da sua família, é um valor que faz muita diferença", afirmou Roma Neto na última segunda-feira (22/03).

O calendário oficial de pagamentos será divulgado ao longo dos próximos dias. De acordo com a Caixa Econômica Federal, todas as datas já foram definidas. Assim que o governo der o sinal verde, os cronogramas vão ser liberados para os beneficiários do auxílio emergencial 2021.

A Dataprev, inclusive, já está avaliando os cadastros antigos do programa. Para verificar se você continua tendo direito ao benefício, será necessário acessar a página de consulta. Os dados serão atualizados até o início de abril de 2021.

Como saber se vou receber o auxílio emergencial 2021?

Pelas novas regras, o auxílio emergencial 2021 apenas será pago para as famílias com rendimento total de até três salários mínimos ao mês, desde que a renda por pessoa seja menor do que meio salário mínimo. E para os beneficiários do Bolsa Família? Continuará valendo a regra do valor mais alto. Ou seja, as unidades familiares vão receber o benefício mais vantajoso (auxílio emergencial 2021 ou do próprio Bolsa Família).

As novas parcelas, de início, serão transferidas para quem recebeu os pagamentos do ano passado. Dessa maneira, mesmo quem passou a ter direito poderá ficar de fora da nova rodada de pagamentos. O governo brasileiro deverá organizar, de maneira automática, os pagamentos de acordo com os cadastros antigos no programa, tendo como prioridade:

  • 28.624.776 beneficiários não inscritos no CadÚnico e já inscritos em plataformas digitais da Caixa;
  • 6.301.073 integrantes do CadÚnico;
  • 10.697.777 atendidos pelo Bolsa Família.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »