Auxílio emergencial 2021 pode ser liberado até dia 15 de março

Apesar de não ter proposta oficial divulgada, líder do governo no Senado quer que auxílio emergencial 2021 saia até 15 de março.

O governo federal possui uma data para poder liberar o auxílio emergencial 2021. De acordo com o que foi apresentado pelo líder do governo, o senador Eduardo Gomes (MDB - TO), o prazo seria o dia 15 de março de 2021.

Segundo ele, até a data, haveria prazo suficiente para haver discussões sobre o tema e votação tanto na Câmara, como no Senado. No entanto, para que isso aconteça, é preciso que o governo libere o quanto antes os planos do auxílio emergencial 2021.

Parcelas e valores do auxílio emergencial 2021

Apesar do prazo ser o dia 15 de março, o governo ainda não definiu a quantidade de parcelas e os valores do auxílio emergencial 2021. Por enquanto, a proposta favorita é que sejam quatro parcelas de R$ 250. No entanto, a equipe econômica ainda trabalha com a possibilidade de se chegar ao valor de R$ 300.

Vale ressaltar que a quantidade de pessoas será reduzida, se comparada com o auxílio emergencial de 2020. Enquanto, aproximadamente 64 milhões receberam dinheiro no ano passado, a nova versão do benefício deverá ser para metade, ou seja, cerca de R$ 32 milhões.

Para isso, o governo já deu a entender que beneficiários do Bolsa Família, por exemplo, não farão parte do novo auxílio emergencial em 2021. Ao mesmo tempo, foram especuladas diversas mudanças no programa que ainda devem ser anunciadas.

De onde sairão os recursos para o auxílio?

Uma das maiores questões do auxílio emergencial 2021 é a fonte de recursos. A principal proposta é que se aprove a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) no que ficou conhecido como Pacto Federativo. Com ela, congelamentos de salários de servidores públicos e outros cortes ocorreriam para haver financiamento do benefício.

Ideias como um imposto temporário semelhante a antiga CPMF também estão sendo discutidas, mas não possuem apoio popular.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »