Auxílio emergencial 2021: quem receberá o dinheiro na família?

Saiba quem vai receber o auxílio emergencial 2021 caso exista mais de uma pessoa na família que possua o direito de ter o dinheiro.

Auxílio emergencial 2021: quem receberá o dinheiro na família, smartphone e notebook na página do auxílio emergencial

Confira os detalhes sobre a prioridade. - Foto: Concursos no Brasil

Os pagamentos do auxílio emergencial 2021 estão previstos para começarem a ser feitos em abril. No entanto, pode ocorrer que mais de uma pessoa na família tenha o direito de ter o dinheiro. Portanto, saiba quem receberá o auxílio emergencial 2021.

Auxílio emergencial 2021: quem receberá o dinheiro na família?

De acordo com o governo federal, caso exista mais de uma pessoa na família com direito de ter o dinheiro, terá prioridade para receber o auxílio emergencial 2021 aos beneficiários da seguinte ordem:

  • Mulher provedora de família monoparental;
  • Data de nascimento mais antiga, e, para fins de desempate, do sexo feminino;
  • Ordem alfabética do primeiro nome, se necessário, para fins de desempate.

Auxílio emergencial 2021: pagamentos

O auxílio emergencial 2021 terá quatro parcelas com pagamentos que variam da seguinte maneira:

  • R$ 250 para trabalhadores;
  • R$ 150 para pessoas que moram sozinhas;
  • R$ 375 para mulher provedora de família monoparental (mãe solteira).

Ao todo, o governo espera pagar R$ 42,5 bilhões para as pessoas consideradas mais vulneráveis. Os repasses devem começar em abril.

Critérios do Auxílio emergencial 2021

Para receber o auxílio emergencial 2021, o interessado deverá ter recebido o benefício em 2020 e não pode se enquadrar nos seguintes grupos de pessoas:

  • Esteja recebendo recursos financeiros do benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista ou de programa de transferência de renda federal, exceto o abono-salarial e Bolsa Família;
  • Tenha renda familiar mensal per capita acima de meio salário mínimo;
  • Seja membro de família com renda mensal total acima de três salários mínimos;
  • Seja residente no exterior;
  • No ano de 2019, tenha recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Tinha, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive a terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00;
  • No ano de 2019, tenha recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.000,00;
  • Tenha sido incluído, no ano de 2019, como dependente de declarante do Imposto sobre a Renda de Pessoa Física enquadrado na condição de cônjuge, companheiro, filho ou enteado;
  • Esteja preso em regime fechado ou tenha seu número no Cadastro de Pessoas Físicas -CPF vinculado, como instituidor, à concessão de auxílio-reclusão conforme a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991;
  • Tenha menos de dezoito anos de idade, exceto no caso de mães adolescentes;
  • Possua indicativo de óbito nas bases de dados do Governo federal ou tenha seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de pensão por morte de qualquer natureza;
  • Esteja com o auxílio emergencial de 2020, ou o auxílio emergencial residual de que trata a Medida Provisória nº 1.000, de 2020, cancelado no momento da avaliação da elegibilidade para o Auxílio Emergencial 2021;
  • Não tenha movimentado os valores relativos ao auxílio emergencial de 2020, disponibilizados na conta contábil de que trata o inciso III do § 12 do art. 2º da Lei nº 10.836, de 2004, ou na poupança digital aberta, conforme definido em regulamento;
  • Seja estagiário, residente médico ou residente multiprofissional, beneficiário de bolsa de estudo da Capes, CNPq ou semelhantes.

Vale ressaltar que o governo possui uma página onde há uma série de perguntas sobre o auxílio emergencial respondidas.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »