Auxílio emergencial 2021: senadores pedem volta das parcelas de R$ 600

Na noite desta quarta-feira (03/03), senadores defenderam a retomada do auxílio emergencial 2021 com parcelas médias de R$ 600. Entenda os detalhes.

Parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial 2021: enquadramento em mão segurando celular. Na tela, é possível ver a página inicial do programa auxílio emergencial

A previsão é de que o programa garanta quatro parcelas entre os meses de março e junho de 2021. - Foto: Concursos no Brasil

Durante as votações sobre a PEC Emergencial, senadores reivindicaram o retorno das parcelas mensais de R$ 600. Os partidos da oposição defenderam, na noite da última quarta-feira (03/03), que a proposta de prorrogação deve ser aprovada com base nos mesmos critérios de 2020. Na época, os beneficiários do auxílio emergencial receberam até cinco parcelas com esse valor, além de quatro pagamentos residuais de R$ 300.

O relator da PEC Emergencial, Márcio Bittar (MDB-SP), disse que o orçamento das novas parcelas não pode ultrapassar o montante de R$ 44 bilhões. Com base nos cálculos do governo, o ideal seria aprovar quatro parcelas no valor médio de R$ 250. A Instituição Financeira Independente, ligada ao Senado, informou que uma nova rodada do auxílio emergencial, nesses termos, custaria R$ 34,2 bilhões.

Parlamentares pediram retomada das parcelas de R$ 600

O líder da minoria política, Jean Paul Prates (PT-RN), pediu para que o auxílio emergencial 2021 seja moldado conforme os critérios do ano passado. De acordo com o senador, o limite imposto pela relatoria da PEC não será suficiente para suprir as necessidades básicas dos beneficiários. Ele pediu para que a bancada do PT continue defendendo a volta do auxílio com o valor mensal R$ 600.

"Esse valor é irrisório para uma família que necessita comprar alimentos e um botijão de gás, para sobreviver no mês. O que está sendo proposto pelo governo não seria suficiente, por exemplo, para comprar uma cesta básica que custa R$ 454,49 e um botijão de gás que custa R$ 90 em Natal, capital do meu estado", argumentou.

Estudos do governo para o auxílio emergencial 2021

Com base em informações do jornal O Globo, o governo brasileiro quer implementar faixas distintas de valores para as parcelas do auxílio emergencial de 2021. A proposta, que ainda foi devidamente confirmada, tem o intuito de conceder repasses médios de R$ 250 para os beneficiários atendidos pelo programa.

Em contrapartida, as parcelas podem ter valor maior para as mulheres chefes de família (R$ 350) ou menor para quem more sozinho (R$ 150). Os detalhes sobre os repasses do auxílio emergencial 2021, dessa maneira, vão estar diretamente relacionados com os perfis dos cidadãos contemplados.

Vale destacar que os critérios poderão continuar sendo os mesmos de antes, ou seja, recebem o benefício aquelas famílias com per capita de até meio salário mínimo e renda total de até três salários mínimos. A previsão do governo e do Congresso é de que o programa garanta quatro parcelas entre os meses de março e junho de 2021.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »