Auxílio emergencial: 3ª parcela já tem cronograma definido; acompanhe

A terceira parcela do auxílio emergencial começa a ser paga em junho de 2021. Os valores variam de R$ 150 a R$ 375, conforme composição familiar. Saiba mais.

3ª parcela do auxílio emergencial 2021: enquadramento em tela de celular em página aberta do auxílio emergencial

O valor das parcelas de 2021 foi definido com base na composição familiar dos beneficiários. - Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já levantou a possibilidade de garantir novas parcelas do auxílio emergencial, desde que a vacinação contra a COVID-19 ainda não tenha progredido. Até o momento, ainda valem as regras anteriormente previstas na MP 1.039: quatro parcelas durante o primeiro semestre de 2021. O terceiro pagamento, inclusive, já tem datas definidas para depósitos e saques/transferências.

Para os beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família, a 3ª parcela do auxílio emergencial será depositada entre os dias 20 de junho e 21 de julho. As datas, assim como antes, foram organizadas com base no mês de aniversário dos beneficiários. Por sua vez, as movimentações do dinheiro via Pix, disponíveis pelo app Caixa Tem, serão liberadas a partir do mesmo período previsto para depósitos.

Já as transferências da 3ª parcela por DOC e TED devem ocorrer entre os dias 13 de julho e 12 de agosto. Durante esse prazo, os saques também serão liberados. E para quem faz parte do Bolsa Família, como funciona? O terceiro pagamento do auxílio emergencial será pago de 17 a 30 de junho, conforme o NIS final dos beneficiários. Esse público também poderá sacar, transferir e fazer Pix nas mesmas datas.

3ª parcela do benefício será paga a partir de junho

As datas referentes à terceira parcela variam de acordo com o perfil dos beneficiários. Aqueles que não fazem parte do Bolsa Família recebem o pagamento entre 20 de junho e 21 de julho de 2021. Eles são compostos por: aprovados pela Dataprev no mês de abril, integrantes do CadÚnico, inscritos no auxílio emergencial de 2020 via site ou app e cidadãos que receberam o benefício em dezembro de 2020.

Confira o cronograma completo para os públicos citados:

Mês de aniversárioData de depósitoData para saque
Janeiro20/0613/07
Fevereiro23/0615/07
Março25/0616/07
Abril27/0620/07
Maio30/0622/07
Junho04/0727/07
Julho06/0729/07
Agosto09/0730/07
Setembro11/0704/08
Outubro14/0706/08
Novembro18/0710/08
Dezembro21/0712/08

Já os beneficiários do Bolsa Família contam com as mesmas datas estabelecidas para o próprio programa. Ou seja, as parcelas estão sendo pagas nos últimos 10 dias úteis de cada mês. A terceira parcela do auxílio, então, deverá ser depositada entre 17 e 30 de junho de 2021.

Para verificar qual data diz respeito ao seu contexto, basta conferir o último dígito do seu NIS. Acompanhe as datas da 3ª cota do auxílio para beneficiários do Bolsa Família:

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 117 de junho de 2021
NIS 218 de junho de 2021
NIS 321 de junho de 2021
NIS 422 de junho de 2021
NIS 523 de junho de 2021
NIS 624 de junho de 2021
NIS 725 de junho de 2021
NIS 828 de junho de 2021
NIS 929 de junho de 2021
NIS 030 de junho de 2021

Perspectivas do auxílio emergencial em 2021

Até o momento, o governo aprovou quatro parcelas do programa em 2021. Elas começaram a ser pagas no mês de abril. Em contrapartida, o ministro Paulo Guedes informou que o benefício poderá ser renovado. Tudo vai depender do ritmo das vacinações contra a COVID-19, bem como os números de contágios/morte pela doença.

Guedes ainda não informou quantas novas parcelas poderão ser aprovadas e nem disse se haverá mudanças nas regras do programa. O que continua valendo já está disponível na medida provisória de nº 1.039. Ou seja, o benefício contempla atendidos pelo Bolsa Família, integrantes do CadÚnico e cidadãos que receberam o auxílio em dezembro do ano passado.

O valor das parcelas de 2021 foi definido com base na composição familiar dos beneficiários. Assim, as mães provedoras do lar recebem a quantia mensal de R$ 375, enquanto os que moram sozinhos têm direito aos pagamentos de R$ 150. Por fim, os demais atendidos pelo programa fazem jus às parcelas médias de R$ 250.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »