Auxílio emergencial: Bolsonaro diz que endividamento está no limite

Presidente criticou prorrogação do auxílio emergencial, em live, dizendo que o Brasil não pode se endividar para para dar recursos à população.

prorrogação do auxílio emergencial: a imagem mostra bolsonaro usando máscara azul

Veja o que o presidente disse nas redes sociais. - Foto: Palácio do Planalto / Flickr

Nesta quinta-feira (27/05), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a capacidade de endividamento do Brasil está chegando no seu limite. Sendo assim, a fonte de recursos para uma possível prorrogação do auxílio emergencial 2021 está se esgotando e, pode ser, que não sejam liberadas mais parcelas depois de julho.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, está analisando uma proposta para um ou dois pagamentos a mais. Segundo ele, é necessário avaliar se as quatro parcelas serão o suficiente para ajudar a população ou se novas cotas deverão ser pagas. O parlamentar explicou que é preciso balancear a responsabilidade social com a responsabilidade fiscal.

Em live nas redes sociais, Bolsonaro disse que o país não tem mais condições de prorrogar o auxílio emergencial. “Se você acha que o governo pode se endividar, para dar recurso a você, vai no banco pegar empréstimo. Se não conseguir, pega do agiota, pega do parente. Vai ver a dificuldade não só pra conseguir, mas pra pagar”, comentou.

Pessoas pobres perderam o auxílio emergencial

O Centro de Estudos de Microfinanças e Inclusão Financeira, da Fundação Getúlio Vargas divulgou um estudo mostrando que 20% dos entrevistados não tiveram acesso ao benefício. Segundo a pesquisa, essas pessoas pobres perderam a chance de ter o auxílio emergencial por não possuírem aparelhos celulares.

As limitações de acesso à internet impediram que vários brasileiros conseguissem solicitar as parcelas. Isso porque todo o processo para conseguir o dinheiro é feito de forma online, desde o cadastro até o recebimento na conta. Entre os fatores que atrapalharam o pagamento a quem realmente precisava estavam:

  • Não saber como baixar o app Caixa Tem;
  • Não saber usar o aplicativo;
  • Não ter espaço suficiente para baixar o aplicativo;
  • Não ter acesso à internet e/ou telefone celular.

Bolsonaro afirma que governo salvou empregos

Na mesma live que Jair Bolsonaro falou sobre um possível impedimento na prorrogação do auxílio emergencial, ele também citou outra medida do governo dentro da pandemia. Em 2020, foi lançado o programa BEm que liberava suspensão de contratos e diminuição de jornadas de trabalho. De acordo com o presidente, isso ajudou a evitar que “a destruição de empregos formais fosse feita”.

Segundo ele, “apesar de alguns governadores e prefeitos fecharem tudo, obrigar a ficar em casa e destruir milhões de empregos”, o governo brasileiro salvou diversos postos de trabalho. No entanto, recente pesquisa do IBGE mostrou que o índice de desemprego no país continua crescendo, chegando a 14,8 milhões de desempregados.

O levantamento informa que este é um novo recorde do Brasil desde 2012. Em contrapartida, os Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (26/05) apontaram um saldo positivo nos trabalhos formais. As informações trazidas pelo Ministério da Economia somam 120.935 novas carteiras assinadas no mês de abril.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »