Auxílio emergencial: VEJA calendário da 8ª parcela para Bolsa Família

Assim como os demais pagamentos do auxílio emergencial, o calendário da 8ª parcela foi organizado conforme o NIS dos beneficiários.

Oitava parcela do auxílio emergencial para Bolsa Família: a imagem mostra um leque de notas de 100, 50, 20 e 10 reais em primeiro plano à direita na tela e um computador aberto no site do auxílio emergencial em segundo plano

Veja as datas para o recebimento da 8ª parcela do auxílio emergencial! - Foto: Concursos no Brasil

A oitava parcela do auxílio emergencial para Bolsa Família será paga a partir do dia 17 de novembro de 2020, tendo em vista que o benefício foi estendido para até o final do ano. Não será necessário fazer nenhum tipo de solicitação especial para continuar recebendo a quantia.

Vale lembrar que a lógica permanecerá sendo a mesma aplicada nos pagamentos anteriores: as transferências vão ser efetuadas de acordo com o final do NIS (Número de Identificação Social) dos beneficiários.

Os inscritos no Bolsa Família poderão garantir o saque da 8ª parcela nas agências da Caixa, rede de lotéricas ou correspondentes bancários. Por sua vez, o calendário para essa cota, com novo valor de R$ 300, seguirá até o dia 30 de novembro de 2020.

Calendário da 8ª parcela para os inscritos no Bolsa Família

De acordo com as datas informadas pelo Ministério da Cidadania, os beneficiários do Bolsa Família deverão ser os primeiros a receberem a oitava parcela do auxílio emergencial. As mães responsáveis pelo sustento da família vão continuar tendo o direito à quantia dobrada (ou seja, R$ 600).

Confira, abaixo, o calendário da 8ª parcela para os beneficiários do programa Bolsa Família:

Data do pagamentoBeneficiário do Bolsa Família
17 de novembroNIS final 1
18 de novembroNIS final 2
19 de novembroNIS final 3
20 de novembroNIS final 4
23 de novembroNIS final 5
24 de novembroNIS final 6
25 de novembroNIS final 7
26 de novembroNIS final 8
27 de novembroNIS final 9
30 de novembroNIS final 0

Como saber se você pode receber o Bolsa Família?

Criado pelo governo federal, o CadÚnico é um sistema que fornece dados sobre as famílias brasileiras de baixa renda. Os registros mostram como elas vivem, qual a constituição familiar e quais programas sociais precisam ser concedidos.

Assim sendo, o Cadastro Único serve como um parâmetro para a inserção das pessoas nos programas sociais do governo. Veja os programas que se baseiam no registro:

  • Programa Bolsa Família;
  • Programa Minha Casa, Minha Vida;
  • Bolsa Verde - Programa de Apoio à Conservação Ambiental;
  • Aposentadoria para pessoa de baixa renda;
  • Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI);
  • Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais;
  • Carta Social;
  • Carteira do Idoso;
  • Programa Brasil Carinhoso;
  • Programa de Cisternas;
  • Telefone Popular;
  • Pro Jovem Adolescente;
  • Tarifa Social de Energia Elétrica;
  • Passe Livre para pessoas com deficiência.

Por outro lado, o registro na base do CadÚnico não garante a aprovação imediata para o recebimento dos benefícios. Cada um dos programas sociais conta com seus próprios regulamentos. Entretanto, o sistema do governo funciona como uma base de dados generalizada.

Quer saber se você está no Cadastro Único? Basta acessar a página “Meu CadÚnico” para realizar a consulta. O mesmo procedimento também pode ser feito pelo aplicativo, que está disponível para celulares com sistemas Android ou iOS.

Bolsa Família: MP do 13º salário perdeu a vigência

O décimo terceiro salário, que foi concedido aos beneficiários do Bolsa Família em 2019, não deve ser efetuado neste ano de 2020. Isso porque a medida provisória acabou perdendo a validade por não ter sido votada no Congresso Nacional.

O benefício extra foi fruto de uma promessa da atual gestão do governo federal, mas a intenção era de apenas concedê-lo em 2019. “Você, homem e mulher, senhor, senhora que recebe o Bolsa Família, que precisa, vai receber o ano que vem [2019], se Deus quiser, caso sejamos presidente, o 13º”, disse Jair Bolsonaro quando ainda estava disputando o posto de presidente da República.

Bolsa Família deverá ser mantido em 2021

Paulo Guedes, na segunda quinzena de outubro de 2020, disse que o Bolsa Família deverá continuar se não houver espaço fiscal para implementar o Renda Cidadã. De acordo com o ministro da Economia, o novo programa do governo deverá obedecer a regra do teto de gastos e, por isso, sua implementação não será uma tarefa fácil.

“Se não encontrarmos espaço fiscal para fazer um programa melhor, vamos voltar para o Bolsa Família. É melhor voltar para o Bolsa Família que promover um programa irresponsável”, defendeu. Sua fala foi feita durante o evento da XP Investimentos. Além disso, ele também disse que não existem planos para dar continuidade ao auxílio emergencial em 2021.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Comentários

Especial PRF

Veja mais »