Auxílio emergencial começa a ser pago para nascidos em outubro e NIS 7

Os pagamentos da primeira parcela do auxílio emergencial 2021 continuam nesta terça-feira. Essa rodada de depósitos será finalizada até dia 30 de abril.

auxílio emergencial: a imagem mostra a logo do auxílio emergencial em amarelo com o nome do benefício ao lado num fundo azul

Confira o restante dos pagamentos da primeira parcela. - Foto: Logo / Divulgação

Mais dois grupos recebem o auxílio emergencial nesta terça-feira (27/04). Os beneficiários da vez são trabalhadores nascidos no mês de outubro e inscritos pelo Bolsa Família que possuem Número de Identificação Social (NIS) final 7. O programa já está caminhando para finalizar os pagamentos da primeira parcela. 

Os valores serão transferidos para as contas digitais por meio do aplicativo Caixa Tem, onde poderão ser movimentados. A quantia recebida poderá ser utilizada para pagamento de contas e boletos, compras online, compras no supermercado e transferência para outras contas. Além disso, a partir do dia 30 de abril, os usuários do app poderão fazer transações pelo PIX.

Próximos pagamentos do auxílio emergencial 2021

Nesta semana, será finalizada a primeira parcela do auxílio emergencial, com as seguintes datas:

  • 28 de abril de 2021: nascidos em novembro e quem tem NIS final 8;
  • 29 de abril de 2021: nascidos em dezembro e quem tem NIS final 9;
  • 30 de abril de 2021: quem tem NIS final 0.

Beneficiários nascidos em novembro e em dezembro poderão sacar o valor em espécie nos dias 14 e 17 de maio de 2021 respectivamente. A próxima rodada de depósitos vai acontecer na segunda quinzena de maio, sendo que nascidos em janeiro terão o dinheiro no dia 16/05 e quem possuir NIS final 1 terá o valor no dia 18/05.

Auxílio emergencial não caiu no Caixa Tem

Desde 2020, quando foi criado, o app Caixa Tem sofre algumas instabilidades e erros de sistema. Por causa disso, alguns usuários que estão na lista de aprovados reclamaram não ter recebido o dinheiro em sua conta digital. Para resolver essa situação, os beneficiários do auxílio emergencial precisam ficar atentos e reunir provas de que os valores não entraram e/ou estão em atraso.

“A responsabilidade pelos pagamentos é da Caixa Econômica Federal, mas o dinheiro vem necessariamente através do Ministério da Cidadania. É preciso identificar, em cada caso, onde houve falha para que os prazos não fossem cumpridos”, explicou o advogado Pedro Saliba à equipe do Concursos no Brasil. 

Segundo ele, a reclamação no PROCON ou no site do consumidor pode ser um aliado, caso a situação não se resolva a curto prazo. Isso porque, é papel dos órgãos responsáveis pelo auxílio emergencial darem uma solução rápida ao problema. Se isso não acontecer, o beneficiário deve ter suas reclamações salvas para uso posterior.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »