Auxílio emergencial em 2021 só se vacinação falhar, diz Guedes

Ministro da Economia coloca condições para haver pagamentos do auxílio emergencial em 2021.

Auxílio emergencial em 2021 só se vacinação falhar, diz Guedes; Paulo Guedes

Guedes falou sobre o auxílio emergencial em 2021. - Foto: Palácio do Planalto

O ministro da Economia, Paulo Guedes, falou que o auxílio emergencial em 2021 só ocorreria em uma situação na qual a vacinação falhasse. A fala ocorreu nesta terça-feira (26/01), durante evento com empresários e investidores. O presidente Jair Bolsonaro esteve presente.

Segundo Guedes, se o pior acontecer, ou seja, uma falha na vacinação, o governo teria que entrar para poder socorrer a população. No entanto, se isso ocorrer, congelamentos de recursos em saúde e educação poderiam ser feitos.

“Quer criar o auxílio emergencial de novo, tem que ter muito cuidado, pensa bastante. Porque se fizer isso não pode ter aumento automático de verbas para educação, para segurança pública, porque a prioridade passou a ser absoluta [para o auxílio]”, disse Guedes.

Bolsonaro disse que auxílio emergencial não é aposentadoria

Nesta segunda-feira (25/01), o presidente Jair Bolsonaro voltou a negar a volta do auxílio emergencial em 2021 e o comparou com aposentadoria. Segundo ele, o país está no limite do endividamento.

"A palavra é emergencial. O que é emergencial? Não é duradouro, não é vitalício, não é aposentadoria. Lamento muita gente passando necessidade, mas nossa capacidade de endividamento tá no limite", disse o presidente.

Presidente apontou que auxílio é responsabilidade de Guedes

O presidente foi questionado por um apoiador sobre quando irá ser aprovado um novo auxílio emergencial para 2021. Em resposta, Bolsonaro disse que era responsabilidade de Guedes e não do apoiador, o assunto do benefício.

“Converso sobre isso com o Paulo Guedes, contigo não”, respondeu o presidente.

Pagamentos do auxílio emergencial chegaram ao fim

Os pagamentos do auxílio emergencial foram encerrados em dezembro de 2020, sendo que ainda houve saques em janeiro de 2021. Ao todo, o governo pagou cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300. 68 milhões de pessoas receberam pelo menos uma parcela do benefício.

O auxílio emergencial foi criado para ajudar pessoas que estavam em situação socioeconomicamente vulnerável por causa da pandemia provocada pelo novo coronavírus. Os pagamentos tiveram início em abril.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »