Auxílio emergencial: foram devolvidos R$ 72 mi pagos indevidamente

Onyx Lorenzoni disse que 79 mil pessoas não estavam dentro dos critérios para receber o auxílio emergencial. Os valores foram devolvidos aos cofres públicos.

Foram devolvidos milhões pagos indevidamente no auxílio emergencial: é possível ver Onyx Lorenzoni gesticulando com um microfone em sua frente

O governo já havia anunciado que 565 mil pessoas foram excluídas do auxílio emergencial. - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Na última segunda-feira (13/07), o Ministério da Cidadania informou que ao menos R$ 72 milhões de reais foram devolvidos para os cofres públicos. O líder da pasta, Onyx Lorenzoni (DEM), disse que 79 mil pessoas estavam fora dos critérios socioeconômicos para garantir os repasses do auxílio emergencial. Todas as devoluções dos valores são realizadas por meio do portal do Ministério da Cidadania.

"Devolveram o auxílio emergencial porque receberam das mais variadas formas indevidamente; 79.067 pessoas que usaram esse aplicativo do site da transparência. E em dinheiro, foram devolvidos 72 milhões, que já voltaram para os cofres públicos, para quem de fato precisa", disse Onyx em entrevista para a rede Bandeirantes.

Acompanhe a matéria completa e fique por dentro de mais detalhes sobre o assunto. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como simulados e artigos. Temos certeza de que existe um material feito especialmente para você!

Contestações de pedidos recusados

Onyx Lorenzoni também destacou que mais de 378 mil pessoas com pedidos negados já estão aptas para receber os repasses por meio do aplicativo Caixa Tem.

"Nós tivemos 1,5 milhão de pessoas que tinham feito a contestação através do aplicativo da Caixa, que, aliás, continua aberto para contestar. Não permite mais o cadastramento, que terminou no dia 2 de julho, mas permite esse volume de mais de 1 milhão de pessoas que nós rodamos e já enviamos à Caixa", afirmou.

Devolução das cotas do auxílio emergencial que foram pagas indevidamente

O governo já havia anunciado que 565 mil pessoas foram excluídas do auxílio emergencial por receberem as cotas de maneira indevida. Na lista, estão criminosos foragidos, brasileiros das classes A e B, militares, 395 mil funcionários públicos, entre outros.

As fraudes foram identificadas quando a Controladoria-Geral da União (CGU) cruzou os dados dos cadastros com os dos Tribunais de Conta dos estados. Por conseguinte, os governos dos municípios e estados já estão sendo notificados para investigarem os casos e cobrarem o estorno do dinheiro.

Todos os brasileiros que receberam o auxílio emergencial de forma indevida devem devolver os valores aos cofres públicos. Para que isso seja feito, o Ministério da Cidadania criou uma página para que os interessados emitam os boletos de pagamento.

Leia mais:

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »