Auxílio emergencial não será prorrogado para 2021, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o estado de calamidade e o auxílio emergencial serão encerrados em dezembro de 2020.

Auxílio emergencial não será prorrogado para 2021, Bolsonaro e Paulo Guedes durante reunião

Ministro desmentiu prorrogação do benefício. - Foto: Palácio do Planalto

Nesta quarta-feira (07/10), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o auxílio emergencial não será prorrogado uma outra vez. O ministro classificou as chances de extensão do programa para 2021 como “zero”.

Aos jornalistas, durante uma entrevista, Guedes comentou que não há articulação política sobre o assunto. “Não haverá prorrogação do auxílio até junho de 2021. Não existe articulação para isso”, comentou.

Decreto de calamidade também será encerrado em 2020

Por causa da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o governo brasileiro decretou estado de calamidade até o dia 31 de dezembro de 2020. Com isso, algumas medidas puderam ser feitas de forma mais rápida, utilizando-se do caráter emergencial do decreto.

Entre as decisões tomadas pelo governo, estava a de se furar o teto de gastos de 2020 para poder socorrer a população e as empresas. O auxílio emergencial, por exemplo, só foi possível com a declaração do estado de calamidade.

Ao ser questionado sobre a possibilidade do estado de calamidade entrar em 2021, visto que a pandemia ainda não terá ido embora, o ministro reafirmou o seu fim. "Tem um plano emergencial e o decreto de calamidade que vão até o fim do ano. E no fim de dezembro acabou tudo isso", afirmou o ministro.

De acordo com o governo, o auxílio emergencial beneficiou 67,7 milhões de brasileiros que estavam em situação vulnerável por causa da pandemia do novo coronavírus. O governo vai pagar cinco parcelas de R$ 600,00 e mais quatro de R$ 300,00 até o final do ano. Estimasse que o gasto total do programa seja de R$ 321,8 bilhões aos cofres públicos.

Pesquisa apontou que parlamentares querem prorrogação

Recentemente, a XP Investimentos divulgou uma pesquisa sobre o apoio da prorrogação do auxílio emergencial entre os parlamentares. Dos entrevistados, 45% afirmaram ser a favor do benefício e o consideram mais prático por já estar em vigor.

Além disso, dentro do grupo de quem é favorável, 54% consideram que a extensão seria viável, mesmo com a situação econômica do governo. Por outro lado, 42% acreditam que a decisão é válida, mas seria necessário fazer alterações no programa para que a União pudesse arcar com os gastos sem maiores problemas.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »