Auxílio emergencial: novo presidente do Senado diz apoiar o benefício

Rodrigo Pacheco foi eleito como novo presidente do Senado e em seu discurso falou sobre a possibilidade de conciliar o teto de gastos com o auxílio emergencial.

novo presidente do senado auxílio emergencial: a imagem mostra Rodrigo Pacheco falando algo e gesticulando com as mãos

O senador teve apoio de Bolsonaro. - Foto: Wikimedia Commons

O novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM - MG), chegou ao cargo com discurso de apoio a novas parcelas do auxílio emergencial. Segundo ele, será mantido o diálogo com a equipe econômica para conciliar a ajuda de custo com o teto de gastos. No entanto, o benefício ainda não foi confirmado e várias propostas aguardam votação.

Eleito nesta segunda-feira (01/02), Pacheco venceu sua adversária Simone Tebet com 57 dos 78 votos. Apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, o senador disse que fará uma gestão independente dos outros Poderes e não irá “ceder à pressão externa”. Em seu discurso, ele afirmou que “governabilidade não significa ser subserviente ao governo”.

Em entrevista à CNN, o presidente do Senado reconheceu a necessidade de medidas sociais para as camadas vulneráveis. "O que eu busco é uma conciliação matemática, com fundamentos econômicos e fundamentos sociais, juntamente com a equipe de governo do Ministério da Economia, para que possamos encontrar um caminho de assistir essas pessoas realmente necessitadas", disse.

O senador falou de possibilidades como prorrogação do auxílio emergencial, incremento no Bolsa Família ou um novo programa de renda similar. Contudo, não definiu o que exatamente planeja e se mostrou bastante preocupado com o Orçamento. "A observância do teto de gastos e da responsabilidade fiscal deve fazer parte da nossa pauta do Senado Federal, em alinhamento com o governo federal. Agora, obviamente vivemos uma situação excepcional”, pontuou.

Apoio de diferentes vertentes políticas

Antes mesmo de saber contra quem disputaria a presidência do Senado, Pacheco se adiantou em conquistar grandes partidos como PSD e PT. Sua campanha contou com a articulação entre governistas e oposicionistas planejada por seu antecessor, Davi Alcolumbre. “Vamos fazer disso uma grande oportunidade de pacificação das nossas relações políticas e institucionais, porque é isso que a sociedade brasileira espera de nós”, afirmou.

Rodrigo Pacheco chegou ao cargo defendendo as reformas programadas pelo Governo Federal. Entretanto, as pautas seguem travadas por causa da pandemia de coronavírus e não devem avançar enquanto a crise de saúde estiver instalada no Brasil. O novo presidente do Senado deverá convocar votação para o Orçamento de 2021, definindo a verba liberada para cada Ministério e também a possibilidade de um novo auxílio emergencial.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Comentários

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »