Auxílio emergencial: Paulo Guedes não descarta prorrogação em 2021

Os números de novos casos de infecções pelo coronavírus podem ser decisivos para prorrogação do auxílio emergencial em 2021.

Prorrogação do auxílio emergencial: leque de dinheiro no canto esquerdo da tela e computador aberto no site do auxílio emergencial

Ministério da Economia está analisando a situação para avaliar as medidas a serem tomadas. - Foto: Concursos no Brasil

Em caso de segunda onda da COVID-19, a equipe técnica do Ministério da Economia prevê a possibilidade de estender o estado de calamidade pública. Por isso, foi divulgado na última quarta-feira, 20 de janeiro de 2021, a possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial nos primeiros meses de 2021.

Apesar da notícia, a novidade é enxergada como uma das “últimas alternativas” de recuperação econômica por parte do Ministro da Economia, Paulo Guedes, e técnicos da pasta.

A equipe técnica de Guedes, responsável por monitorar as contas do governo, acredita que as prorrogações (estado de calamidade e orçamento de guerra) devem ser implementadas para não descumprir o teto de gastos. Sem as medidas, será difícil não furar a regra de ouro e a meta fiscal.

Auxílio emergencial prorrogado em 2021?

Para que o auxílio emergencial seja prorrogado em 2021, a equipe do governo e os parlamentares precisam encontrar formas viáveis para o financiamento das novas parcelas. O programa, até o final de 2020, custou R$ 322 bilhões aos cofres públicos.

Ao que tudo indica, não há brecha para a extensão do auxílio dentro do teto de gastos. Por isso, seria necessário aprovar uma exceção para créditos extraordinários.

A equipe econômica, em debates internos, está cogitando a possibilidade de fornecer alternativas à população mais vulnerável. Assim sendo, a estratégia é de adiantar o abono salarial, antecipar o 13º salário para aposentados e pensionistas, além de autorizar um novo saque do FGTS emergencial.

Prorrogação do auxílio emergencial não entrará em pauta até fevereiro de 2021, diz Maia

Em ocasiões anteriores, o presidente da Câmara dos Deputados já ressaltou que não colocará a prorrogação do auxílio emergencial em pauta. Rodrigo Maia disse que as novas parcelas somente poderão ser votadas a partir de fevereiro de 2021, assim como a possibilidade de prorrogar o estado de calamidade pública.

“Nenhum desses assuntos será pautado na Câmara até primeiro de fevereiro. O governo que esqueça isso. Aqueles que sonham com um jeitinho na solução para o teto de gastos que aproveitem a chegada do próximo presidente da Câmara, que terá a coragem de ser o responsável por uma profunda crise econômica e social deste país”, afirmou Maia.

O atual presidente da Câmara também ressaltou que está preocupado com a coordenação política de Jair Bolsonaro. Até porque não há nenhuma reforma ou medida anunciada para recuperação econômica. “Não haverá prorrogação da emenda constituição da guerra e não haverá, em hipótese alguma, votação de nenhuma mensagem que prorrogue o estado de calamidade”, voltou a mencionar.

Márcia Andréia
Redatora
Jornalista no Portal Concursos no Brasil, estudou Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduanda em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Dom Alberto.
Atuou na produção da Record Bahia, na assessoria de comunicação da Prefeitura de Correntina - BA, na redação do Jornal do Sudoeste, dentre outras atividades na área de propaganda.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »