Auxílio de R$600 pode ser solicitado por quem recebe seguro-desemprego

Os beneficiários que receberem a última parcela do seguro-desemprego dentro do prazo dos três meses de auxílio emergencial poderão solicitar os R$600.

Uma das categorias de trabalhador que têm direito ao auxílio emergencial durante o período de pandemia são os desempregados. Porém, aqueles que recebem o seguro-desemprego não podem acumular os dois benefícios. Mas o Ministério da Cidadania trouxe uma opção para esses casos. Quem estiver com o seguro-desemprego para vencer no mês de maio ou junho poderá solicitar os R$ 600.

Os beneficiários precisam ter bastante atenção! O cadastro para receber o auxílio emergencial deve ser realizado após o pagamento da última parcela do seguro-desemprego. Caso contrário, o solicitante não receberá o novo benefício. Como o auxílio de R$ 600 está sendo depositado em três parcelas (abril, maio e junho), o Ministério da Cidadania explica que quem terminar de receber o seguro-desemprego dentro desse período poderá receber a ajuda emergencial.

Dessa forma, quem teve acesso à última parcela do seguro-desemprego em abril, deve solicitar os R$ 600 para maio e quem perder seguro em maio deverá se cadastrar para ter o auxílio emergencial em junho. Para solicitar o novo benefício do governo, os interessados devem acessar o site da Caixa ou o Aplicativo do Auxílio Emergencial.

Por enquanto, essa é a decisão, contudo o vice-presidente da República afirmou que, caso o estado de emergência se mantenha por mais tempo, o benefício poderá ser estendido por mais tempo além dos três meses iniciais estipulados. Receberão o auxílio de R$ 600 quem:

  • For maior de 18 anos;
  • Não tiver emprego formal;
  • Não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego (em vigor) ou de programa de transferência de renda federal;
  • Estiver inscrito no CadÚnico ou no Bolsa Familia;
  • Tiver renda mensal per capita de até meio salário mínimo ou a renda mensal familiar de até três salários mínimos;
  • For microempreendedor individual (MEI), contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria ou trabalhador informal (sem carteira assinada).

Em abril, a Câmara dos Deputados ainda aprovou a ampliação do benefício para outras categorias de trabalhadores. Vale ressaltar que pai ou mãe chefe de família monoparental receberá duas cotas da ajuda, totalizando R$ 1.200,00.

Inicialmente, para obter o auxílio emergencial, os solicitantes deveriam regularizar o CPF na Receita Federal. No entanto, esse requisito foi revogado pela Justiça.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »