Auxílio emergencial: quarta e quinta parcela podem ser divididas

Quarta e quinta parcela do auxílio emergencial podem ser divididas pelo governo federal. Ainda falta confirmação oficial.

Auxílio emergencial: quarta e quinta parcela podem ser divididas, smartphone e notebook abertos no site do auxílio emergencial

Benefício poderá ser parcelado no novo calendário. - Foto: Concursos no Brasil

Com o pagamento da terceira parcela do auxílio emergencial chegando ao fim para a maioria dos beneficiários, já existe a expectativa das próximas duas etapas. A quarta e quinta parcela do auxílio emergencial podem ser dividas pelo governo, isto é, terem pagamentos diferentes do habitual.

Durante o anúncio oficial de que haveria duas novas parcelas do auxílio emergencial, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a ideia é que os pagamentos não fossem feitos de uma vez, como vem ocorrendo. Até a terceira parcela, todos os beneficiários recebiam os R$ 600,00 integralmente, com um único depósito.

A nova proposta é fazer uma divisão da seguinte maneira: a quarta parcela teria um pagamento de R$ 500,00 no começo do mês e um pagamento final de R$ 100,00, no final. Já a quinta seria composta por dois pagamentos de R$ 300,00, também com o dinheiro chegando no começo e no término do mês.

Porém, a informação não pode ser tratada como oficial. Isso porque a Caixa ainda não lançou o calendário completo do pagamento, já que divulgou apenas o cronograma da quarta parcela para beneficiários do Bolsa Família. Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, apesar do cronograma das próximas parcelas do auxílio emergencial já estar definido, é preciso que o ministro Paulo Guedes veja e aprove o que foi proposto pelo banco.

Somente quando houver autorização por parte da equipe do Ministério da Economia, o calendário poderá ser lançado pela Caixa e consequentemente, as pessoas saberão quando irão receber a quarta e a quinta parcela.

Prazo para se inscrever no auxílio emergencial já terminou

O prazo para se inscrever no auxílio emergencial se encerrou no dia 02 de julho de 2020. Apesar disso, muitos brasileiros reclamaram do fim das inscrições. Alguns deputados e instituições encaminharam solicitações de reabertura dos registros. Por enquanto, nenhuma obteve sucesso.

Quem já está inscrito e foi aprovado, receberá as novas parcelas automaticamente. Quem ainda aguarda um recurso contra a decisão de se negar o benefício, não precisa se preocupar com os pagamentos anteriores. Caso, a pessoa consiga provar que realmente precisa do dinheiro, a Caixa pagará as parcelas atrasadas.

Veja também:

Compartilhe

Comentários