Bahia gerou mais de 126 mil empregos formais em 2011

Rendimento médio do trabalhador baiano também aumentou 3,0% em termos reais, passando de R$ 1.512,82 em 2010, para R$ 1.557,63 em 2011.

A Relação Anual de Informações Sociais de 2011 (RAIS-2011) aponta um aumento de 126.386 empregos formais na Bahia em relação a 2010, totalizando em dezembro de 2011 um estoque de 2.265.618 postos de trabalho, sendo o quinto estado no ranking de geração de empregos em 2011.

Além do crescimento do emprego de 5,9%, o rendimento médio do trabalhador baiano aumentou 3,0% em termos reais, passando de R$ 1.512,82 em 2010, para R$ 1.557,63 em 2011. Entre os setores de atividade econômica que mais geraram empregos em 2011 estão 'serviços', com 55.898 postos de trabalho; 'comércio', 35.141 e 'administração pública', com 14.831 novas vagas.

Em termos relativos, a 'extração mineral' apresentou a maior variação (+11,2%), seguida pelos 'serviços de indústria de utilidade pública' (+10,9%) e pelo 'comércio' (+9,1%).

Ensino médio

As variações relativas comparadas de 2010 para 2011 mostram que o estoque de empregos formais por setor de atividade, nos 8 setores foram positivas, sendo a menor variação na 'construção civil' (+1,8%), o que equivale a um aumento de 2.775 novos postos de trabalho neste setor.

O crescimento do emprego se deu com mais intensidade para trabalhadores com ensino médio completo (+105.804), ensino superior completo (+23.281) e no ensino médio incompleto (+7.204 postos de trabalho). Variação negativa é encontrada em postos de trabalho com menor grau de instrução, houve uma perda de 4.570 postos entre os analfabetos e 7.371 postos de trabalho ocupados por pessoas de ensino fundamental.

Comparando os resultados do estado com a região Nordeste e com o total do Brasil, verifica-se que a taxa de variação do estoque de emprego formal na Bahia (+5,9%) entre 2010 e 2011, foi superior à do Brasil (+5,1%), e igual à do Nordeste (+5,9%).

Resultado positivo

Comportamento diferente é observado para a variação relativa real da remuneração média de dezembro, do emprego formal. A Bahia (+3,0%) apresentou ampliação um pouco maior que a do Brasil (+2,9%) e inferior à do Nordeste (+4,0%). Contudo, o rendimento do emprego formal continua maior no Brasil, cuja remuneração média foi de R$ 1.902,13. Na Bahia, como mencionado anteriormente, foi de R$ 1.557,63 e no Nordeste R$ 1.501,33.

O resultado da RAIS foi positivo para a Bahia, uma vez que o estado apresentou simultaneamente elevação do estoque de trabalho, crescimento relativo do grau de instrução do trabalhador e crescimento da remuneração média do trabalho.

****

Bahia lidera geração de emprego nos quatro primeiros meses do ano (18/05/2012)

Dados do Caged mostram que a Bahia criou, no mês de abril de 2012, 7.847 empregos celetistas.

A Bahia criou, no mês de abril deste ano, 7.847 empregos celetistas. Nos quatro primeiros meses de 2012, já são 22.609 novos postos de trabalho, colocando o estado com o melhor desempenho absoluto da região do Nordeste. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira (17), pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

O crescimento do número de vagas no estado, no referido período, foi equivalente à elevação de 0,47% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Tal resultado decorreu, principalmente, da expansão do emprego nos setores da agropecuária (+2.575 postos), de serviços (+1.843 postos), da indústria de transformação (+1.571 postos) e da construção civil (+1.153 postos). A Região Metropolitana de Salvador (RMS) registrou um acréscimo de 2.327 empregos formais (+ 0,27%).

Crescimento econômico

No último mês de abril, Salvador liderou a geração de emprego no estado com um saldo de 2.149 postos com carteira assinada, seguido por Juazeiro, com 1.817; Teixeira de Freitas, 932; Feira de Santana, 870; e Camaçari, 676 vagas.

“Mas o que chama a atenção no saldo de abril é o bom desempenho dos municípios do interior baiano com mais de 30 mil habitantes. Juntos, 77 municípios geraram 5.520 postos, o equivalente a 70,3% do total”, afirma o secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Nilton Vasconcelos. Segundo ele, isso é muito positivo, porque demonstra crescimento econômico além da Região Metropolitana de Salvador.

De acordo com o Caged, na série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, nos últimos 12 meses, foram gerados 60.827 postos de trabalho na Bahia. Os dados do Caged do mês de abril serão detalhados no relatório mensal elaborado pelo Observatório do Trabalho da Bahia, que será publicado, em breve, no site da Secretaria de Emprego, Trabalho, Renda e Esporte da Bahia (Setre).

Secom/Bahia

Compartilhe

Comentários