Banco Central prevê queda de 6,4% no PIB do Brasil

Queda de 6,4% no PIB do Brasil vai ao encontro com as previsões do mercado financeiro e diverge dos números do Ministério da Economia.

Banco Central prevê queda de 6,4% no PIB do Brasil, prédio do Banco Central

BC prevê recessão do PIB. - Foto: Agência Senado

Nesta quinta-feira (25/06), o Banco Central divulgou a previsão de que o PIB do Brasil irá encolher 6,4% em 2020. A previsão está dentro do relatório de projeção da inflação que o BC costuma publicar todo trimestre. Um pouco antes da crise provocada pelo coronavírus, no primeiro trimestre, estava previsto uma estagnação, sem quedas ou crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

A estimativa do BC é bem parecida com a do mercado que espera uma queda de 6,5%. Existem instituições que esperam um desempenho ainda pior. O Banco Mundial estima uma recessão de 8%. Já o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê um desempenho negativo de 9,1% para o PIB do Brasil.

O que é o PIB?

O Produto Interno Bruto (PIB) é um índice que mede a produção de riqueza gerada por um país, seja serviços ou bens. É um parâmetro utilizado para saber se a economia vai bem ou se há alguma crise. Como estamos passando por uma pandemia com impactos econômicos, o PIB sofrerá uma recessão.

Sendo assim, comparado com 2019, o Brasil produzirá menos. Geralmente, o índice é analisado anualmente, mas há divulgações trimestrais e semestrais para que haja uma noção dos rumos da economia durante o ano.

Previsão do Ministério da Economia é diferente

Apesar da publicação do Banco Central, o Ministério da Economia prevê um cenário mais otimista para a queda do PIB. A estimativa é de uma recessão de 4,7%, algo bem distante das previsões do setor financeiro.

Na segunda-feira (22/06), o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, falou durante uma live com investidores, que confia que o pior já passou e defendeu a estimativa do governo. "Os dados estão vindo melhores que nós imaginávamos. São dados ruins. Agora, quando você olha a previsão de mercado era pior ainda. Boa parte das pessoas que estão no mercado que previram uma queda acima de 6,5% todas elas estão tendo que rever”, disse.

Nessa mesma live, ele falou sobre o auxílio emergencial e defendeu que o governo avalie o benefício mensalmente. Ainda aproveitou para elogiar o ministro da Economia Paulo Guedes e sua condução na pasta.

Outros dados divulgados pelo BC

Ainda de acordo com a previsão do Banco Central, haverá uma queda de 7,4% no consumo das famílias e contração de 13,8% nos investimentos de capital fixo. A previsão da inflação caiu se comparado com os dados previstos no mês de março. Antes, acreditava-se que ficaria em 3% ao ano. Agora, o número é de 1,9%.

Veja também:

Compartilhe

Comentários