Beneficiários do Bolsa Família não farão parte do auxílio emergencial

Novo auxílio emergencial em 2021 não deverá ter beneficiários do Bolsa Família. Programa de renda ainda passará por mudanças.

Beneficiários do Bolsa Família não farão parte do auxílio emergencial; celular aberto no aplicativo do Bolsa Família e notebook no site do Bolsa Família

Auxílio emergencial pode ter três parcelas de R$ 200. - Foto: Concursos no Brasil

Nesta quinta-feira (04/02), o ministro da Economia, Paulo Guedes, se reuniu com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM - MG) e debateram sobre os problemas econômicos do país e possíveis soluções. Ficou acordado, por exemplo, que beneficiários do Bolsa Família não farão parte do auxílio emergencial 2021.

O governo federal vem estudando a possibilidade de voltar com o benefício, pois a pandemia ainda não foi controlada e muitos trabalhadores informais não estão conseguindo obter renda por conta própria. Sendo assim, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo, três parcelas de R$ 200 deverão ser pagas.

O governo considera que quem é beneficiado pelo Bolsa Família possui ao menos alguma ajuda. Por outro lado, trabalhadores informais que não se enquadram em programas sociais estariam sofrendo com a crise financeira, precisando de recursos do governo para sobreviver.

Guedes chegou a dizer que o auxílio emergencial é possível, desde que dentro de regras para não furar o teto de gastos.

“É possível. Nós temos como orçamentar isso, desde que seja dentro de um novo marco fiscal. Se o Congresso aciona o estado de calamidade, temos condição de reagir rapidamente. Mas é muito importante que seja dentro de um quadro de recuperação das finanças. Estamos preparados para fazer as coisas dentro das proporções, disse o ministro.

Regras do novo Bolsa Família

Além de não fazer parte do novo auxílio emergencial, os usuários do Bolsa Família devem estar preparados para as novas regras que deverão ser impostas neste ano de 2021. Entre as novidades está o possível reajuste do valor médio dos pagamentos, que iria chegar a R$ 200.

O governo também prevê bonificação de acordo com o desempenho escolar e auxílio-creche:

  • Auxílio-creche mensal de R$ 52 por criança;
  • Prêmio anual de R$ 200 para os estudantes com os melhores desempenhos;
  • Bolsa mensal de R$ 100, mais prêmio anual de R$ 1.000, para alunos com bom desempenho nos campos de ciência e tecnologia;
  • Bolsa mensal de R$ 100, mais prêmio anual de R$ 1.000, para alunos que forem destaque em atividades desportivas;
  • Auxílio-creche no valor de R$ 200 para as mães beneficiárias do Bolsa Família.

De acordo com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, o lançamento do novo Bolsa Família ainda precisa de autorização do presidente Jair Bolsonaro. Mesmo assim, espera-se que o anúncio seja feito ainda no mês de fevereiro.

Como foi o auxílio emergencial em 2020

O governo federal pagou, entre abril e dezembro, cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300 para pessoas consideradas vulneráveis socioeconomicamente por causa da pandemia provocada pelo novo coronavírus. Segundo o Ministério da Cidadania, cerca de 68 milhões de brasileiros receberam pelo menos um pagamento do benefício.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »