Beneficiários do Bolsa Família tiveram o auxílio de R$ 600 negado

A Caixa divulgou que cerca de 700 mil beneficiários do Bolsa Família tiveram o auxílio emergencial negado mesmo sendo abrangidos pelos critérios.

Beneficiários do Bolsa Família tiveram o auxílio de R$ 600 negado: mão segurando o celular aberto no aplicativo do auxílio emergencial

O governo pretende unir Bolsa Família e Auxílio Emergencial. - Foto: Concursos no Brasil

Durante coletiva de imprensa, a Caixa Econômica Federal afirmou que 700 mil beneficiários do Bolsa Família tiveram o auxílio de R$ 600 negado. A Dataprev, instituto responsável pela análise dos cadastros, não divulgou a razão para o acontecido. Apenas disse que "é importante esclarecer que a Lei n. 13.982/20 prevê que todos os cidadãos precisam atender os critérios de elegibilidade para serem habilitados a receber o auxílio emergencial".

Contudo, os beneficiários do Bolsa Família já estão inclusos no grupo que tem direito aos R$ 600, uma vez que é requisito a baixa renda para obter os benefícios. "Todas as famílias com renda por pessoa de até R$ 89,00 mensais e famílias com renda por pessoa entre R$ 89,01 e R$ 178,00 mensais, desde que tenham crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos" podem se cadastrar no Bolsa Família, segundo o site do programa social.

Segundo o professor e doutor em desenvolvimento econômico pela Unicamp, Jefferson Mariano, "no Bolsa Família, o critério é o rendimento domiciliar per capita. Mas ela pode, por exemplo, ter vínculo formal, recebendo salário mínimo. Nesse critério, ela já estaria fora do auxílio emergencial, porém, ainda elegível no Bolsa Família. É possível, mas pouco provável nessa intensidade".

Ou seja, há uma chance de que os beneficiários do Bolsa família tiveram o auxílio emergencial negado por terem alguma relação empregatícia. O ministro da Economia, Paulo Guedes, divulgou que o governo tem como projeto unificar os dois programas e criar o “Renda Brasil”. No entanto, não deu mais nenhuma informação.

O auxílio emergencial foi uma medida tomada para diminuir o impacto financeiro da pandemia de coronavírus sobre as camadas mais vulneráveis socialmente. Entretanto, a emergência em entregar o dinheiro culminou em algumas fraudes. Filhos de servidores públicos, esposas de empresários e outras pessoas que não tinham direito ao benefício conseguiram os R$ 600 omitindo informações no cadastro.

Além disso, cerca de 70 mil militares também receberam o auxílio de forma indevida. Também foi divulgado o caso dos foragidos que tiveram o acesso à ajuda de custo do governo. Entre eles 11 dos 22 foragidos mais procurados pela polícia brasileira. Todos esses terão que devolver a quantia aos cofres públicos, uma vez que não se encaixam nos critérios.

Veja também:

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »