Bolsa Família: 1ª parcela do auxílio emergencial COMEÇA a ser paga

Para Bolsa Família, o auxílio emergencial começará a ser pago nesta sexta-feira (16/04). As datas foram organizadas conforme o final do NIS. Saiba os detalhes.

O auxílio emergencial foi retomado pelo governo brasileiro, no sentido de transferir quatro pagamentos entre R$ 150 e R$ 375. Para os beneficiários do Bolsa Família, a primeira parcela será paga a partir desta sexta-feira (16/04). As datas foram organizadas conforme o calendário tradicional do programa. Ou seja, sempre nos últimos 10 dias úteis de cada mês. O resultado do processamento, inclusive, já está disponível no site de consultas da Dataprev.

Assim como aconteceu em 2020, as unidades familiares terão direito ao valor mais vantajoso dentre o auxílio emergencial e o próprio Bolsa Família. O dinheiro poderá ser sacado pelos cartões tradicionais do programa (‘Cidadão’ e ‘Bolsa Família’), também sendo possível movimentar as parcelas pelas poupanças sociais digitais. Por meio do aplicativo Caixa Tem, os beneficiários podem fazer pagamentos e efetuar transferências bancárias para outras contas.

Auxílio emergencial começa a ser pago para Bolsa Família; veja calendário da 1ª parcela

Diferente dos demais beneficiários, o cronograma do auxílio emergencial para Bolsa Família dispõe de um mesmo período de depósitos e liberação dos saques imediatos. As datas foram organizadas com base nos dígitos finais do Número de Identificação Social (NIS). Nesta sexta-feira (16/04), a primeira parcela será paga aos inscritos no Bolsa Família NIS final ‘1’.

Confira, abaixo, o calendário referente à primeira parcela do auxílio emergencial para os beneficiários do Bolsa Família:

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 116 de abril de 2021
NIS 219 de abril de 2021
NIS 320 de abril de 2021
NIS 422 de abril de 2021
NIS 523 de abril de 2021
NIS 626 de abril de 2021
NIS 727 de abril de 2021
NIS 828 de abril de 2021
NIS 929 de abril de 2021
NIS 030 de abril de 2021

E se primeira parcela não ficar disponível para beneficiários do Bolsa Família que se enquadram nos critérios do auxílio emergencial? Nesse caso, será possível contestar o benefício negado a partir desta sexta-feira (16/04). Para isso, os inscritos no programa devem consultar o resultado do processamento pela Dataprev e realizar o pedido na mesma página. O período de contestações para esse público deve terminar no dia 1º de maio de 2021.

Auxílio emergencial em 2021: como funciona?

Na nova rodada de pagamentos, o auxílio emergencial será limitado para apenas uma pessoa de cada unidade familiar. Não haverá, então, possibilidade de acumular mais de um pagamento durante o mesmo mês. Como o governo não liberou novas inscrições, a Dataprev apenas avaliou os cadastros das pessoas que receberam o auxílio emergencial no ano passado. A empresa ficou responsável por verificar quem ainda tem direito de receber os repasses.

Um dos principais critérios diz respeito à renda dos beneficiários: é necessário receber ganhos per capita de até meio salário mínimo e total de até três salários mínimos. Ao todo, cerca de 45,6 milhões de famílias vão ser atendidas pelos pagamentos do auxílio emergencial em 2021. Veja, no entanto, quem ficará de fora da nova rodada:

  • Tenha vínculo de emprego formal ativo;
  • Esteja recebendo benefícios previdenciário, assistencial, trabalhista ou de programa de transferência de renda federal (menos abono salarial e Bolsa Família);
  • Tenha renda familiar mensal per capita superior a meio salário mínimo;
  • Seja membro de família que tenha renda mensal total superior a três salários mínimos;
  • Seja residente no exterior;
  • No ano de 2019, tenha recebido rendimentos tributáveis superiores ao valor total de R$ 28.559,70;
  • Tinha, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive a terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00;
  • No ano de 2019, tenha recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.000,00;
  • Tenha sido declarado, no ano de 2019, como dependente na condição de: cônjuge; companheiro com o qual o contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de cinco anos; filho/enteado com menos de 21 anos; ou filho/enteado com menos de 24 anos que esteja matriculado em instituição de nível médio técnico ou superior;
  • Esteja preso em regime fechado;
  • Tenha seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de auxílio-reclusão;
  • Tenha menos de 18 anos de idade (menos no caso de mães adolescentes);
  • Possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo;
  • Tenha seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de pensão por morte de qualquer natureza;
  • Esteja com o auxílio emergencial de 2020 cancelado no momento da avaliação para as novas parcelas;
  • Não tenha movimentado os valores relativos ao auxílio emergencial de 2020;
  • Seja estagiário, residente médico ou residente multiprofissional;
  • Seja beneficiário de bolsa de estudo da Capes, do CNPq ou similares.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »