Bolsonaro suspende Renda Brasil temporariamente

Insatisfeito com os valores apresentados pelo ministro Paulo Guedes, Bolsonaro suspende Renda Brasil até que nova proposta seja feita.

Bolsonaro suspende Renda Brasil temporariamente, Jair Bolsonaro discursando

Renda Brasil é uma das prioridades de Bolsonaro. - Foto: Palácio do Planalto

Nesta quarta-feira (26/08), o presidente Jair Bolsonaro suspendeu o Renda Brasil temporariamente. O anúncio foi feito durante um evento na siderúrgica Usiminas, em Minas Gerais. O programa de transferência de renda é a maior aposta do governo para deixar um legado e deve substituir o Bolsa Família.

Segundo Bolsonaro, a ideia apresentada pela equipe econômica não agradou. "Ontem discutimos a possível proposta do Renda Brasil e falei que está suspenso. A proposta como apareceu para mim não será enviada ao parlamento. Não posso tirar de pobre para dar a paupérrimos", disse o presidente.

A fala se refere ao ministro da Economia, Paulo Gudes, que tinha como plano fazer um pagamento de R$ 250,00 mensais, o que desagradou Bolsonaro que quer pagar mais. Além disso, o presidente apontou que é contra a retirada de recursos de outros programas e também de benefícios como o abono salarial.

"Não podemos fazer isso aí, como por exemplo, a questão do abono para quem ganha até 2 salários mínimos , que seria um 14° salário, não podemos tirar isso de 12 milhões de pessoas para dar ao Bolsa Família, ao Renda Brasil ou como for chamar esse novo programa", comentou durante o evento.

Insatisfação com Guedes cresce

Não é de hoje que Bolsonaro e Paulo Guedes estão tendo algumas divergências em relação a condução da política econômica do país. Enquanto o ministro deseja reduzir os gastos e implementar impostos como a “Nova CPMF”, o presidente se diz contra os tributos e ao mesmo tempo deseja ampliar os gastos com programas sociais.

A proposta do Renda Brasil gerou um novo impasse dentro do governo federal com Guedes querendo eliminar diversos benefícios como Farmácia Popular, o Seguro Defeso e a isenção do Imposto de Renda para Saúde e Educação,

Vale ressaltar que o ministro não compareceu ao lançamento do programa Casa Verde Amarelo que ocorreu ontem, no Salão Nobre do Palácio do Planalto e que contou com diversas autoridades, entre elas o próprio presidente.

Bolsonaro prometeu auxílio emergencial até o fim do ano

Ainda durante o evento em Minas Gerais, o presidente prometeu que irá manter o auxílio emergencial até o final do ano. Apesar disso, apontou que espera que o país volte a produzir renda e consequentemente empregos.

As discussões sobre a extensão do auxílio emergencial já estão ocorrendo dentro do governo. O objetivo é que ele vá até o final de 2020, porém com um valor reduzido. Para que haja o corte, é preciso que o Congresso aprove a mudança. Alguns parlamentares já se disseram a favor da prorrogação do benefício com a diminuição dos atuais R$ 600,00.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »