SAIU calendário do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família

Para os beneficiários do Bolsa Família, o calendário do auxílio emergencial 2021 será executado a partir do dia 16 de abril. Veja todas as datas de pagamento.

Calendário do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família: notas de dinheiro em destaque. No fundo, é possível ver notebook com a página do auxílio emergencial aberta

As novas parcelas do auxílio emergencial 2021 terão valor médio de R$ 250. - Foto: Concursos no Brasil

Como o auxílio emergencial foi retomado em 2021, as novas parcelas para os beneficiários do Bolsa Família vão ser transferidas a partir do dia 16 de abril. O procedimento continuará sendo o mesmo aplicado nos pagamentos anteriores. Ou seja, os depósitos serão gradualmente feitos de acordo com o último dígito do NIS (Número de Identificação Social) dos inscritos no programa.

Os beneficiários do Bolsa Família não terão que se cadastrar para garantir as parcelas do auxílio emergencial 2021. Até porque as unidades familiares já estão incluídas na base de dados do governo (CadÚnico), que dispõe sobre as principais informações a respeito de renda e hipossuficiência financeira. Ao que tudo indica, serão transferidas quatro parcelas entre abril e julho de 2021.

Valor do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que as novas parcelas do auxílio emergencial 2021 terão valor médio de R$ 250. Por outro lado, mulheres chefes de família vão contar com pagamentos maiores (R$ 375), enquanto os que moram sozinhos deverão receber cotas de R$ 150.

Isso quer dizer que os pagamentos deverão variar de acordo com a composição familiar dos beneficiários. O auxílio emergencial 2021 deverá limitar um benefício por família. No ano passado, até dois membros da mesma unidade familiar poderiam receber as parcelas.

Os trabalhadores que estiverem inscritos no CadÚnico vão ser os primeiros atendidos pela nova rodada de pagamentos, além dos informais que se cadastraram pelo site e no app da Caixa. Por fim, os beneficiários do Bolsa Família deverão ser contemplados de acordo com o calendário tradicional do programa.

Caixa Tem para beneficiários do Bolsa Família

Os beneficiários do Bolsa Família poderão movimentar suas parcelas por meio de suas poupanças sociais digitais, sem a necessidade de efetuar saques integrais em caixas eletrônicos. Dessa maneira, o auxílio emergencial 2021 será transferido, sem tarifas adicionais, pelo aplicativo Caixa Tem (Android e iOS). A plataforma funciona como um banco para pessoas de baixa renda, garantindo inúmeros recursos virtuais.

As transações em poupanças sociais digitais possuem limites diários de R$ 1.200 e mensais de R$ 5.000. Veja como será possível movimentar as parcelas do auxílio emergencial 2021 pelo aplicativo Caixa Tem:

  • Para fazer compras por meio do cartão virtual de débito. A funcionalidade pode ser obtida pelo app Caixa Tem;
  • Para fazer compras por meio do QR Code;
  • Para pagar contas de água, luz, gás e boletos (via aplicativo ou diretamente nas casas lotéricas).

De acordo com a Caixa Econômica Federal (CEF), as contas digitais servem como uma alternativa para as unidades familiares. Isso quer dizer que os beneficiários ainda terão a possibilidade sacar o dinheiro em agências, rede de lotéricas ou correspondentes bancários.

Veja também: Auxílio emergencial 2021: contestação poderá ser feita por aplicativo

Calendário do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família

Ao todo, serão depositadas quatro parcelas do auxílio emergencial 2021. A ideia do governo é de concedê-las entre os meses de abril e julho do mesmo ano, com base no calendário tradicional do Bolsa Família. Assim sendo, as datas foram organizadas de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) dos beneficiários.

Confira, logo abaixo, o calendário completo do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família:

Primeira parcela do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família (mês de abril)

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 116 de abril de 2021
NIS 219 de abril de 2021
NIS 320 de abril de 2021
NIS 422 de abril de 2021
NIS 523 de abril de 2021
NIS 626 de abril de 2021
NIS 727 de abril de 2021
NIS 828 de abril de 2021
NIS 929 de abril de 2021
NIS 030 de abril de 2021

Segunda parcela do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família (mês de maio)

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 118 de maio de 2021
NIS 219 de maio de 2021
NIS 320 de maio de 2021
NIS 421 de maio de 2021
NIS 524 de maio de 2021
NIS 625 de maio de 2021
NIS 726 de maio de 2021
NIS 827 de maio de 2021
NIS 928 de maio de 2021
NIS 031 de maio de 2021

Terceira parcela do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família (mês de junho)

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 117 de junho de 2021
NIS 218 de junho de 2021
NIS 321 de junho de 2021
NIS 422 de junho de 2021
NIS 523 de junho de 2021
NIS 624 de junho de 2021
NIS 725 de junho de 2021
NIS 828 de junho de 2021
NIS 929 de junho de 2021
NIS 030 de junho de 2021

Quarta parcela do auxílio emergencial 2021 para Bolsa Família (mês de julho)

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 119 de julho de 2021
NIS 220 de julho de 2021
NIS 321 de julho de 2021
NIS 422 de julho de 2021
NIS 523 de julho de 2021
NIS 626 de julho de 2021
NIS 727 de julho de 2021
NIS 828 de julho de 2021
NIS 929 de julho de 2021
NIS 030 de julho de 2021

Bolsa Família 2021 será ampliado após parcelas do auxílio emergencial

O novo formato do programa Bolsa Família estava previsto para ser apresentado no final do ano passado, conforme informado por Onyx Lorenzoni, antigo ministro da Cidadania. No entanto, o projeto ainda não foi deliberado pelo Congresso. Ao que tudo indica, o motivo está associado com tramitações internas de outros assuntos.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse que a reformulação do Bolsa Família deverá ser apresentada após a concessão das novas parcelas do auxílio emergencial. “A gente espera, no final dos quatro meses, ter uma nova proposta para o Bolsa Família. Como é que vai ser o Bolsa Família a partir de julho [de 2021]. Essa que é a nossa intenção e trabalhamos nesse sentido”, explicou em transmissão ao vivo pelas suas redes sociais.

Antes de deixar o Ministério da Cidadania, Onyx Lorenzoni já havia descrito alguns detalhes que deverão ser incluídos no Bolsa Família de 2021. Um deles diz respeito ao recurso de microcrédito digital produtivo, desde os beneficiários sejam micro ou pequenos empreendedores. Com a implementação desse recurso, será possível solicitar empréstimo para retomar as atividades econômicas.

Lorenzoni também disse que o nome do programa continuará sendo o mesmo de sempre. “A gente acresce o microcrédito produtivo, que vai permitir, por exemplo, que uma pessoa possa buscar até R$ 1 mil, comprar uma máquina, repor o seu estoque, para retomar sua atividade econômica”, explicou para o portal Jovem Pan. Confira algumas mudanças que poderão ser incluídas no novo Bolsa Família:

  • Aumento no valor médio das parcelas (de R$ 192 para R$ 200);
  • Inclusão de mais 300 mil famílias nos cadastros oficiais do programa. Atualmente, mais de um milhão de unidades estão na lista de espera;
  • Auxílio-creche mensal de R$ 52 por criança;
  • Prêmio anual de R$ 200 para estudantes com os melhores desempenhos escolares;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de prêmio anual de R$ 1.000, para alunos que se destacarem nas áreas desportivas e de tecnologia;
  • Auxílio-creche mensal de R$ 200 para as mães beneficiárias do Bolsa Família.

Recentemente, o novo ministro da Cidadania, João Roma, disse que existe um estudo em discussão para ampliar o Bolsa Família em agosto de 2021. Durante audiência promovida na Câmara dos Deputados, o chefe da pasta afirmou que o tema será debatido pelos integrantes da Frente Parlamentar Mista de Renda Básica.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Comentários

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »