Concurso Banco do Brasil: novo presidente é contra privatização

Além de negar privatização, o novo presidente do Banco do Brasil, André Brandão, afirmou que é necessária uma modernização no atendimento ao cliente.

Banco do Brasil: imagem de fachada de agência do Banco do Brasil

Edital pode sair ainda em 2020. - Foto: Wikimedia Commons

As expectativas para um concurso Banco do Brasil crescem com a nomeação do novo presidente da casa, André Guilherme Brandão. Em entrevista, o executivo responsável pelo BB se posicionou contra a privatização da instituição, diferentemente do antigo presidente, Rubem Novaes. Ele lembrou que Bolsonaro já havia descartado a ideia e afirmado não estar em pauta.

Com seleção confirmada, edital tem previsão para sair ainda em 2020, isso porque, em agosto, o banco afirmou que “o BB está finalizando os estudos sobre o concurso”. Segundo Brandão, o banco precisa de diversidade no quadro de funcionários. Sendo assim, acredita-se que a melhor opção seria contratando novos servidores por meio de concurso do Banco do Brasil.

“Sei que isso está no contexto da diretoria, mas eu acho que, na minha administração, o que eu quero trabalhar muito é com as pessoas. O que a gente pode fazer mais? No que eu consigo ajudar os colaboradores? Como é que a gente consegue fazer um trabalho que já é magnífico no Banco do Brasil, que é a parte de treinamento?”, destacou.

O novo presidente do Banco do Brasil também se mostrou focado em melhorar o atendimento ao cliente. Sobre isso, ele falou da necessidade de modernização do contato com o público, mas frisou que as agências físicas não perderão sua importância.

“Tem uma adaptação, mas, evidentemente, tem um trabalho de avaliar localizações, e, para isso, tem que avaliar a rentabilidade das agências e tudo o mais. Mas a resposta é: a despeito dessa mudança digital, acho que tem espaço para tudo e tem espaço para a agência também”, pontuou Brandão.

Nomeação do novo presidente do BB

A exoneração do antigo presidente do Banco do Brasil Rubem Novaes, de 74 anos, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), nesta terça-feira (22). O texto também contou com a posse de André Brandão, que já esteve à frente do HSBC Brasil.

Em nota assinada pelo vice-presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores, Carlos Hamilton Vasconcelos de Araújo, a escolha do novo presidente já havia sido confirmada. "O Banco do Brasil comunica que, após comunicação formal, via Ofício do Ministério da Economia, desta data, iniciou-se no âmbito do BB os procedimentos de governança necessários à confirmação da elegibilidade do Sr. André Guilherme Brandão para assumir o cargo de presidente da Companhia".

De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, a recomendação veio de Roberto Campos, presidente do Banco Central. Para a troca da presidência do Banco, Novaes e Brandão participaram de uma cerimônia realizada no Palácio do Planalto.

Concurso Banco do Brasil deve sair em breve

Foram divulgadas 120 vagas na área de TI em concurso Banco do Brasil neste mês de setembro. Com a finalização dos estudos, é provável que o edital seja lançado nos próximos meses contanto com salário inicial de R$ 3,8 mil. No entanto, não foram liberados outros detalhes como cargos, jornadas de trabalho e formação acadêmica.

Sabe-se que a ideia da instituição é atrair jovens que farão parte de uma imersão no Banco por seis meses. Os aprovados nesse período terão a possibilidade de trabalhar no regime home office. Essa novidade casa com o objetivo de modernização desejado por Brandão.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Comentários