Processo seletivo da Educação Especial: Aprovados devem ir às CRE's

Os aprovados no processo seletivo da Educação Especial, realizado pela Secretaria de Estado da Educação (SEE), devem comparecer na próxima segunda-feira (5).

Os aprovados no processo seletivo da Educação Especial, realizado pela Secretaria de Estado da Educação (SEE), devem comparecer na próxima segunda-feira (5) nas Coordenadorias Regionais de Educação (CRE's) onde se inscreveram para assinatura do contrato de trabalho.

A gerente da Educação Especial da SEE, Aline Damasceno, se reuniu na última terça-feira (30) com o setor de Recursos Humanos da Secretaria para as últimas definições sobre a contratação dos aprovados. Nesta quarta (31), por volta das 10h, ela se reúne com os coordenadores das CRE's para orientá-los sobre como deverão proceder neste processo de contratação temporária dos novos profissionais que irão atuar na Educação Especial.

Damasceno acrescentou que os aprovados não precisam aguardar nenhuma convocação para se apresentar. “Os candidatos aprovados devem ir às CRE's na próxima segunda munidos dos documentos pessoais, como RG, CPF e comprovante de residência. Eles já assinam os contratos e receberão instruções de quando começam a lecionar. Não será mais necessária a comprovação de títulos, pois isto já foi feito no período de inscrição”, acrescentou.

O resultado do processo seletivo para a contração de profissionais temporários para a Educação Especial foi divulgado no Diário Oficial do Estado do último dia 29 de outubro. A seleção, que foi realizada em duas etapas, tem o objetivo de suprir a demanda das unidades de ensino estaduais e de instituições filantrópicas conveniadas. Ao todo, 4.826 se inscreveram no processo.

Ao todo, foram ofertadas 672 vagas para os cargos de intérprete de Libras, instrutor de Libras, instrutor de oficinas pedagógicas, revisor Braille, ledor/transcritor de Braille, professor de sala de recursos multifuncionais, monitores de teatro, dança e música, professor de educação física, auxiliar de sala e piscineiro. Os salários variam de R$ 622 (nível fundamental) a R$ 1.150 (nível superior).

Fonte: Governo de Alagoas

Compartilhe