Concurso Polícia Federal: vagas na área administrativa são aguardadas

Concurso Polícia Federal: além das vagas já autorizadas, a corporação realizou pedido para as áreas administrativa e de apoio. Confira.

Vagas na área administrativa do concurso Polícia Federal: enquadramento em parte da viatura da PF

A PF solicitou 508 vagas para as carreiras administrativa e de apoio. - Foto: André Gustavo Stumpf / Flickr

O Ministério da Justiça e Segurança Pública já estabeleceu o preenchimento de 1.500 vagas imediatas em novo concurso Polícia Federal. No documento de autorização, constam oportunidades para os cargos de Agente, Escrivão, Delegado e Papiloscopista. A pasta, no entanto, confirmou para a nossa equipe que a corporação também solicitou certame nas áreas administrativa e de apoio (níveis médio e superior).

Ainda em análise, o pedido foi elaborado para suprir o déficit de carreiras complementares ao funcionamento da Polícia Federal. Veja a distribuição das oportunidades efetivas, com base na solicitação protocolada em processo de nº 08200.007331/2020-88:

  • Administrador: 21 vagas;
  • Arquivista: oito vagas;
  • Assistente Social: 10 vagas;
  • Bibliotecário: uma vaga;
  • Contador: nove vagas;
  • Economista: três vagas;
  • Enfermeiro: três vagas;
  • Engenheiro: uma vaga;
  • Estatístico: quatro vagas;
  • Farmacêutico: uma vaga;
  • Médico: 65 vagas;
  • Nutricionista: uma vaga;
  • Odontólogo: 11 vagas;
  • Psicólogo: cinco vagas;
  • Técnico em Assuntos Educacionais: 13 vagas;
  • Técnico em Comunicação Social: três vagas;
  • Agente Administrativo (nível médio): 349 vagas.

Assim sendo, a PF poderia contar com um novo edital para essas 508 vagas efetivas. Os concurseiros que já finalizaram o ensino médio, por sua vez, aguardam a confirmação de novas oportunidades para Agente Administrativo, que exige nível de escolaridade compatível.

Aqueles que se classificam para esse cargo geralmente recebem remunerações iniciais de R$ 4.746,16 (R$ 2.279,16 de salário-base e R$ 2.467 de gratificação de desempenho). Para os outros postos das áreas administrativa e de apoio, é necessário ter graduação completa. Os ganhos são calculados no valor de R$ 7.841,95 para médicos e R$ 5.776,47 aos demais cargos.

Vagas já autorizadas no concurso Polícia Federal

Recentemente, o Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou a autorização para o concurso Polícia Federal. "O prazo para a publicação do edital de abertura de inscrições para o concurso público será de até seis meses, contado a partir da publicação desta portaria [09 de dezembro de 2020]", consta no aval.

Serão ofertadas 1.500 vagas imediatas para os seguintes cargos:

  • Agente da Polícia Federal: 893 vagas;
  • Escrivão da Polícia Federal: 400 vagas;
  • Delegado da Polícia Federal: 123 vagas;
  • Papiloscopista: 84 vagas.

O diretor-geral do órgão, Rolando Alexandre, também confirmou que vão ocorrer 500 contratações excedentes até o ano de 2022. O quantitativo final, dessa maneira, deverá alcançar 2.000 oportunidades efetivas para a PF. Essa informação foi anunciada na última segunda-feira (14/12), durante solenidade de posse dos novos delegados federais.

Etapas eliminatórias

Se o novo concurso Polícia Federal seguir as diretrizes do certame anterior (2018), os candidatos vão ser submetidos às seguintes fases:

  • Prova objetiva;
  • Prova discursiva;
  • Exame de aptidão física;
  • Prova oral (somente para o cargo de Delegado de Polícia Federal);
  • Prova prática de digitação (somente para Escrivão de Polícia Federal);
  • Avaliação médica;
  • Avaliação psicológica;
  • Avaliação de títulos (somente para os cargos de Delegado de Polícia Federal);
  • Curso de formação profissional (CFP) para os candidatos classificados em todas as etapas anteriores. Os procedimentos devem ficar sob a responsabilidade da Academia Nacional de Polícia.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »