Concurso PRF: autorização pode sair até o final desta semana

Caso a autorização do concurso PRF saia até 31 de outubro de 2020, é possível que o certame tenha início ainda este ano, ofertando 2 mil vagas.

concurso prf: Policial rodoviários federais operando radar móvel na rua com viatura ao fundo

Segundo Bolsonaro, o edital já está pronto. - Foto: Wikimedia Commons

O concurso PRF (Polícia Rodoviária Federal) está esperando apenas a autorização para ser iniciado. De acordo com o diretor da corporação, José Hott, o edital já está pronto para ser lançado com 2 mil vagas, mas precisa ser aprovado até o final deste mês de outubro. Caso isso aconteça, a banca deve ser contratada até o dia 30 de novembro de 2020. O deputado Eduardo Bolsonaro confirmou, em suas redes sociais, que a seleção terá início ainda em 2020.

Cronograma do concurso PRF

Há um cronograma para a realização do concurso PRF que prevê a possibilidade de começar as etapas em 2020, apenas se houver a aprovação do certame até 31 de outubro de 2020. Hott, também por meio das redes sociais no último domingo (25), afirmou que ainda é possível seguir o planejamento. Segundo o diretor, o objetivo é não atrasar nenhum passo e manter o calendário correndo como o previsto.

Dessa forma, ele espera que não haja nenhum atraso nos preparativos, nem que as provas precisem ser adiadas para o segundo semestre de 2021. Hott falou ainda que haverá uma reunião entre os departamentos para debater sobre o andamento da seleção. O encontro deve acontecer no decorrer desta semana.

Segundo ele, a ideia era oferecer 2.772 vagas, sendo 2.634 para policial rodoviário federal e as outras 138 oportunidades para agente administrativo. Mas o presidente Jair Bolsonaro confirmou apenas 2 mil, que deve ser a quantidade liberada. Outra novidade é que o Curso de Formação será realizado num período maior, podendo ter até 20 semanas de duração. Além disso, serão montadas três turmas: uma com início em 2021 e as outras duas em 2022.

Detalhes do concurso PRF

Os interessados em ingressar na carreira de Policial, pelo concurso PRF, precisam ter completado o ensino superior em qualquer área. Também é necessário possuir carteira de habilitação tipo B (CNH B) para dirigir a viatura. Para esses, a remuneração oferecida começa em R$ 10.357,88, já somada ao auxílio-alimentação de R$ 458,00.

O cargo de Agente Administrativo, por sua vez, pede que os candidatos tenham apenas o ensino médio completo. Esses irão trabalhar em jornadas de 40 horas semanais para receber remuneração inicial de R$ 4.022,77, com auxílio-alimentação incluso.

Uma curiosidade de muitos é que não há limite de idade entre os requisitos para entrar na Polícia Rodoviária. "Não há limite de idade. Selecionamento pela competência e pela capacidade de ser PRF", afirmou Hott em live promovida em julho de 2020. Quanto às provas, os inscritos serão submetidos a três blocos que somam 120 questões de múltipla escolha. Veja o que estudar para as provas do concurso PRF:

  • Língua Portuguesa;
  • Raciocínio Lógico-Matemático;
  • Informática;
  • Noções de Física;
  • Ética no Serviço Público;
  • Geopolítica Brasileira;
  • História da PRF;
  • Legislação de Trânsito;
  • Noções de Direito Administrativo;
  • Noções de Direito Constitucional;
  • Noções de Direito Penal e Processual Penal;
  • Direitos Humanos e Cidadania.

Vale ressaltar que, mesmo com a Reforma Administrativa em pé de acontecer, o ministro da Segurança Pública, André Mendonça, e o presidente Jair Bolsonaro, afirmaram que os contratados da Polícia Rodoviária Federal terão estabilidade. Segundo o anúncio, os aprovados passarão por um período de experiência de dois anos e após três anos conseguirão a estabilidade.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Comentários

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »