Conhecimento em Libras pode render pontos extras em concursos

Foi aprovado Projeto de Lei que determina pontuação do conhecimento em Libras nos concursos federais que tiverem prova de títulos.

governo autoriza contratar interprete de libras

Foto: Universidade de Brasília

No último dia 12 de fevereiro de 2020 (quarta-feira), a Comissão de Direitos Humanos (CDH) aprovou o PL 6.036/2019 que visa o desenvolvimento da Língua Brasileira de Sinais (Libras) na esfera pública. O Projeto de Lei, de autoria do senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB - PB), é voltado à pontuação do candidato que possui Conhecimento em Libras nos concursos federais.

Ou seja, a proposta é que nos certames “em que houver prova de títulos, sejam conferidos pontos aos candidatos que possuírem conhecimento comprovado na Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS”. Dessa forma, o autor sugere que o certificado da língua “deverá ser pontuado, no mínimo, com a mesma pontuação dos cursos de especialização ou mestrado”.

Rêgo justificou que o PL 6.036/2019 tem como objetivo “valorizar a linguagem de sinais e estimular a sociedade a participar de maneira mais efetiva no processo de integração social das pessoas com deficiência auditiva”. Uma vez que, segundo ele, “é significativo o número de pessoas com deficiência na audição e consequentemente na comunicação que, por esse fato, ficam alijadas de muitos processos sociais”.

O texto foi analisado pelo senador Romário (Podemos - RJ) e está sendo votado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Segundo ele, “no que diz respeito ao mérito, não podemos senão louvar a ideia do autor, tão simples quanto engenhosa. Atuando sobre interesses legítimos dos cidadãos, o autor cria um dispositivo que logra dois objetivos ao mesmo tempo: incita o interesse pelo aprendizado de Libras na sociedade em geral e traz para dentro do Estado pessoas com formação nessa língua. E tudo isso sem um centavo de custo adicional para os orçamentos públicos – e com dinamização da sociedade civil”.

Em seu relatório, o senador ainda aplaudiu o Projeto de Lei que pontua Conhecimento em Libra nos concursos federais, considerando-o um pequeno gesto, mas que tem grande importância. “Isso porque as decisões que tomamos a respeito das pessoas com deficiência expressam nossa consideração para com os outros seres humanos, em geral, e para conosco mesmos, em particular”, afirmou.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »