Correios deverão ser privatizados só a partir de 2022

Durante entrevista, presidente da estatal, Floriano Peixoto, comentou que venda dos Correios só deve ocorrer em 2022.

Correios deverão ser privatizados só a partir de 2022, unidade dos Correios

Estatal passou por greve em 2020. - Foto: Agência Senado

Os Correios deverão ser privatizados só a partir de 2022 e não em 2021, como chegou a ser apontado pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria. A informação foi dada pelo presidente da estatal, Floriano Peixoto, durante uma entrevista à Revista Exame.

De acordo com Peixoto, por ser uma privatização de uma empresa muito grande com vários funcionários, levará tempo para que os estudos do impacto da venda sejam feitos. O levantamento está sendo conduzido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pelo Consórcio Postar. Os Correios possuem mais de 95 mil servidores espalhados por todo o Brasil.

Um Comitê Interministerial foi criado somente para tratar do assunto. Além do BNDES, fazem parte das discussões: Ministério da Economia, Ministério das Comunicações e Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos.

Relembre o que disse Fábio Faria

Em setembro de 2020, durante uma live, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou que a venda dos Correios geraria R$ 15 bilhões aos cofres públicos. Ele chegou a apontar que existiriam cinco grandes empresas de olho na compra da estatal, entre elas Magazine Luiza, Amazon, DHL e FedEx.

Também em setembro, em uma entrevista à Agência Bloomberg, ele comentou que a proposta de privatização dos Correios seria enviada ainda em 2020, cenário bem mais otimista do que foi apresentado por Peixoto.

"Podíamos fazer uma PEC ou um projeto de lei, mas optamos pelo projeto de lei que deve ser finalizado no Ministério das Comunicações nos próximos 15 dias e enviado ao Palácio do Planalto para ajustes. Até o fim do ano, o Executivo terá feito e entregue o seu dever de casa e o projeto estará no Congresso para ser aprimorado pelos deputados e senadores", afirmou na época.

Momentos de turbulência nos Correios

A estatal vem passando por momentos de tensão nos últimos meses. Além do anúncio dos preparativos para a privatização, os funcionários dos Correios chegaram a entrar em greve pelo fato da empresa ter deixado de cumprir um acordo com a categoria. Após semanas de paralisação, as atividades foram retomadas mediante um acordo.

Governo só enviou proposta da Eletrobras

Apesar das várias promessas do governo em realizar privatizações, até o momento da publicação desta matéria, somente o projeto da venda da Eletrobras foi enviado ao Congresso pela equipe econômica comandada pelo ministro Paulo Guedes. A responsabilidade de dar prosseguimento nas discussões é agora do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM 0 RJ).

A pandemia do novo coronavírus pode atrasar qualquer decisão de Maia, pois, por enquanto, as sessões presenciais ainda estão oficialmente suspensas. Para uma discussão dessa magnitude, seria ideal a presença física dos parlamentares.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »