Custo do auxílio emergencial passa a ser de R$ 254 bilhões

Com a prorrogação, o custo total passou por um crescimento de 158% em relação aos R$ 98 bilhões liberados em 02 de abril de 2020. Confira todos os detalhes!

Custo do auxílio emergencial: foco em duas cédulas. Uma de cem reais e a outra de cinquenta

Os recursos para o auxílio emergencial foram liberados por meio de quatro MPs. - Foto: Pixabay

Após definir o auxílio emergencial para mais dois meses, o governo concedeu R$ 101,6 bilhões à pasta de Cidadania com o propósito de financiar as novas cotas de R$ 600,00. Esse montante, de caráter extraordinário, foi definido por meio da Medida Provisória nº 988/2020. Por conseguinte, a previsão de custo total do programa passar a ser de R$ 254,2 bilhões de reais.

O anúncio das novas parcelas do auxílio emergencial foi realizado durante a cerimônia do dia 30 de junho (terça-feira). Ainda não se sabe, no entanto, como será feito o repasse das duas cotas de R$ 600,00. O ministro da Economia, Paulo Guedes, cogitou usar uma estratégia de “aterrissagem”, fracionando os valores em mais de um depósito por mês.

Acompanhe a matéria completa logo abaixo e fique por dentro de mais detalhes. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como simulados e artigos. Temos certeza de que existe um material feito especialmente para você!

Custo do auxílio emergencial alcança o valor de R$ 254 bilhões

Com a prorrogação do auxílio emergencial, o custo total passou por um crescimento de 158% em relação aos R$ 98 bilhões liberados em 02 de abril de 2020. A demanda ultrapassou as expectativas iniciais, já que o governo federal não esperava que a pandemia ocasionada pelo novo coronavírus fosse perdurar por mais tempo.

Ao todo, o programa do auxílio emergencial já recebeu:

Até então, os recursos para o auxílio emergencial foram liberados por meio de quatro MPs (medidas provisórias) desde abril. Elas abriram créditos extraordinários que não entram na conta do teto de gastos e podem ser usados em momentos de calamidade pública.

“Se não descer [o ritmo de contágio nos próximos três meses], lá vamos nós pensar de novo em quanto tempo mais teremos que segurar o fôlego”, afirmou Paulo Guedes em cerimônia da última terça-feira (30/06).

620 mil pessoas já receberam auxílio emergencial sem ter direito

Com base em novo relatório do Tribunal de Contas da União, ao menos 620 mil pessoas receberam auxílio emergencial de maneira indevida. Os repasses emergenciais são destinados somente às pessoas que se encontram em dificuldades financeiras durante a pandemia.

Entretanto, os dados do novo documento denotam que até milionários conseguiram receber os benefícios. Caso esses pagamentos não sejam interrompidos o quanto antes, é possível que os cofres públicos sofram um rombo de mais de R$ 1 bilhão de reais.

Confira alguns dos principais dados presentes no relatório, que foi obtido pela TV Globo no último domingo (28/06):

  • 235.572 empresários, que não são microempreendedores individuais, receberam o benefício irregularmente;
  • 15.850 de auxílios foram repassados para pessoas com renda acima do limite estabelecido pelo programa;
  • 17.084 pessoas mortas constam como beneficiárias do auxílio emergencial.

Leia mais:

Compartilhe

Comentários