Economia proíbe concurso Ministério da Saúde, diz Mandetta

De acordo com o ex-ministro da pasta, a equipe de planejamento vem constantemente proibindo um novo concurso Ministério da Saúde. Saiba mais!

Na última segunda-feira (15/06), Luiz Henrique Mandetta reafirmou que a realização de um novo concurso Ministério da Saúde está sofrendo entraves por parte da pasta de Economia. O ex-ministro da Saúde, em entrevista para o portal UOL, disse que a equipe de planejamento já vem proibindo quaisquer certames efetivos há muitos anos.

A situação tende a se agravar ainda mais com as sucessivas mudanças na pasta de Saúde. "Com certeza [as mudanças terão consequências]. Há muitos anos, o pessoal do planejamento proíbe concurso e atrativo para que a pessoa se dedique à saúde pública no Ministério da Saúde. Temos técnicos com 30, 40 anos de Ministério, que são o que temos de melhor da época que tinham concursos”, argumentou.

Mandetta também explicou que existem inúmeros bolsistas com vínculos temporários. A renovação dos contratos se estende em até 15 anos e, por conseguinte, não há estabilidade alguma na carreira. De acordo com o ex-ministro, esses sempre são os primeiros a sofrerem as consequências com as mudanças de chefia.

"Com a retirada, tem que colocar gente boa no lugar. No lugar do pessoal de 30, 40 anos, temos substituição de militares de carreira. Estou vendo perder o pessoal de maior experiência e muitos bolsistas. O tempo vai dizer", acrescentou.

Barganhas políticas

O ex-ministro também afirmou que a pasta sempre foi usada em "barganhas políticas". Para Mandetta, é necessário que o Ministério da Saúde seja visto e tratado “com mais carinho” pelos governos.

"Passada a pandemia, a presença política de um ministro interino é para negociar cargos para recomposição de base no Congresso por parte do presidente. Saúde é utilizada em barganhas políticas e talvez esse seja mais uma vez o destino dela", declarou.

Importância de um novo concurso Ministério da Saúde

Luiz Henrique Mandetta, enquanto ainda estava no comando da pasta, reiterou a necessidade de repor o quadro de servidores efetivos. Em abril de 2020, o ex-ministro reconheceu que as unidades hospitalares tendem a continuar sucateadas em recursos humanos. A solução imediata seria a realização de um novo concurso Ministério da Saúde.

Os servidores efetivos, de acordo com suas próprias palavras, estão em idade avançada. Além do mais, não existem aprovados o suficiente que possam suprir demandas a longo prazo.

"Antigamente nós tínhamos uma carreira para médicos e enfermeiros que trabalhavam nesse serviço público federal. Nesses 35 anos, não foi feito mais concurso para o quadro desses hospitais. Essa força de trabalho foi ficando cada vez mais idosa", disse Mandetta em entrevista coletiva de abril.

Todos os últimos certames do Ministério da Saúde foram destinados para contratações com prazo de validade. Um deles, realizado em maio, contemplou 5.158 vagas imediatas e temporárias. As oportunidades autorizadas foram disponibilizadas aos profissionais de níveis médio técnico e superior.

Veja mais:

Tópico: Ministério da Saúde

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »