Enem 2020: Aplicação de provas será digital em fase piloto

Expectativa é de que até 2026 a versão em papel seja extinta.

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) será aplicado também de forma digital em 2020. É o que ficou definido no anúncio feito nesta quarta, pelo Ministro da Educação e sua equipe. Essa edição será um teste piloto e a implantação do Enem Digital será progressiva, com início no próximo ano e previsão de consolidação em 2026. A edição que será realizada em 2019 não sofre nenhuma alteração.

De acordo com o portal do MEC, nessa fase piloto, o candidato pode optar, no momento da inscrição, por realizar o exame virtual ou de forma presencial. No primeiro ano de teste, o modelo digital será aplicado para 50 mil pessoas em 15 capitais do país.

Para o teste piloto, o governo federal pretende realizar o exame em várias datas ao longo do ano, por agendamento. A aplicação presencial permanecerá em dois domingos, nos dias 11 e 18 de outubro, e os resultados serão divulgados de forma conjunta. As capitais que irão receber a novidade em 2020 serão: Belém (PA), Belo Horizonte (MG); Brasília (DF); Campo Grande (MS); Cuiabá (MT); Curitiba (PR); Florianópolis (SC); Goiânia (GO); João Pessoa (PB); Manaus (AM); Porto Alegre (RS); Recife (PE); Rio de Janeiro (RJ); Salvador (BA); São Paulo (SP).

O Ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicou em suas redes sociais sobre o otimismo com a novidade "O futuro que se abre vai tornar o exame acessível a mais municípios, com mais opções de datas para realizar as provas, mais seguro e interativo", comentou ele em sua página no Twitter.

Com a consolidação desse novo sistema existe uma projeção de economia com a impressão de papel e um ganho para o meio ambiente. De acordo com dados do Portal do MEC, em 2019, mais de 10,2 milhões de provas serão impressas para o Enem. Os custos com a aplicação superam R$ 500 milhões para os mais de 5 milhões de participantes confirmados na edição.

Com o Enem Digital existirá ainda a possibilidade de utilização de novos tipos de questões com vídeos, infográficos e até a lógica dos games. Com essa novidade, mais municípios poderão aplicar os exames. 

Opinião

A equipe do Concursos no Brasil procurou opiniões de pessoas ligadas a educação sobre a novidade divulgada pelo MEC e, elas vieram acompanhadas de receio pelos possíveis riscos de ataques de hackers da internet.

Para o professor e editor do portal Concursos no Brasil, Alberto Vicente, há benefícios claros, pois é provável que até mesmo o resultado deva sair mais rápido, porém, é preciso ter cautela. "Nossa esperança é de que o governo reforce ainda mais a segurança da avaliação, pois, com a digitalização, essa questão é crucial. Vai ser necessário estar sempre alerta para se combater possíveis vulnerabilidades ou tentativas de fraudar o exame", comentou.

A professora de ensino médio da rede pública estadual baiana, Verônica Lacerda, tem a mesma preocupação. Ela considera que a iniciativa é um avanço, mas pode ser perigoso. "O que sabemos de imediato é que será feito, mas não sabemos ainda como. O medo é da vulnerabilidade do processo, a segurança dos arquivos e a certeza, que não temos, de que algo não pode ser violado. A internet tem se mostrado, em muitos âmbitos, terra de ninguém. Vamos aguardar a divulgação de outras informações posteriormente", concluiu. 

Márcia Andréia
Redatora
Jornalista no Portal Concursos no Brasil, estudou Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduanda em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Dom Alberto.
Atuou na produção da Record Bahia, na assessoria de comunicação da Prefeitura de Correntina - BA, na redação do Jornal do Sudoeste, dentre outras atividades na área de propaganda.

Compartilhe

Comentários

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »