Equipe de Guedes descarta pente-fino na previdência; saiba impacto

Pente-fino foi dado como certo dentro do Orçamento aprovado pelo Congresso. Se não for feito, governo deverá procurar outra forma de economizar dinheiro.

Equipe de Guedes descarta pente-fino na previdência, unidade da PrevidênciaSocial

Orçamento prevê pente-fino. - Foto: Agência Senado

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, descartou a realização de um pente-fino na previdência. A ação chegou a ser justificada para que houvesse um corte nos benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) dentro do orçamento de 2021.

A ideia por trás do pente-fino é que o governo corte verbas em diversas áreas e consiga repassar o dinheiro para emendas parlamentares. Como o governo depende do apoio do Congresso, as emendas precisavam ser incluídas dentro do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA).

A PLOA foi sancionada no dia 22 de abril e já contou com o corte da Previdência, mesmo ele não tendo sido feito ainda. O relatório do senador Márcio Bittar (MDB - AC) já previa o pente-fino como garantia de corte.

Ao descartar o pente-fino, a equipe de Guedes liga o sinal amarelo nas contas da Previdência. Se não realizar o pente-fino, o governo deverá procurar outras alternativas para não romper o teto de gastos na área.

O que é o pente-fino da previdência?

O pente-fino da previdência é uma busca minuciosa por qualquer tipo de irregularidade ou mesmo inconformidade nos registros de quem recebe algum benefício previdenciário. Ao fazer isso, o governo conseguiria economizar verbas.

No governo Temer, por exemplo, houve um pente-fino que ficou famoso por ter revisado 1,2 milhão de benefícios e ter convocado centenas de milhares de pessoas para a realização de exames ou fazer outras comprovações.

Em contrapartida, a pandemia inviabiliza a realização, já que comprovações e exames deverão ser feitos presencialmente, gerando aglomerações nas unidades da Previdência Social e em suas representações oficiais.

Recentemente, o governo adiou exames presenciais e até mesmo adiantou a aprovação de pedidos, mesmo sem comprovação.

INSS vem sofrendo com falta de servidores

Além de problemas com os pagamentos aos beneficiários cadastrados, o INSS vem sofrendo com um déficit de servidores. O último concurso INSS foi realizado em 2015 e não há perspectiva de realização de um novo certame antes de 2022.

Com isso, a fila de pedidos chegou a passar da casa do milhão no final de 2020. O governo tentou reduzir a quantidade de pessoas em espera ao contratar militares da reserva e funcionários aposentados do INSS. No entanto, a iniciativa não teve resultados expressivos.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »