"Estamos atentos", diz Guedes sobre possibilidade de prorrogar auxílio

Guedes disse que novas parcelas do auxílio emergencial podem ser aprovadas em 2021, ainda mais se a pandemia resistir ao programa de vacinação. Saiba mais.

Existem pressões internas e externas para que o governo aprove novas parcelas do auxílio emergencial. Atualmente, estão previstos quatro pagamentos durante o primeiro semestre de 2021. Dois deles já foram transferidos e, por sua vez, o terceiro deverá ser pago em junho. O ministro Paulo Guedes explicou que a prorrogação é viável, ainda mais se a pandemia “resistir” ao programa de vacinação contra a COVID-19.

"Estamos atentos à pandemia. Podemos estender o auxílio emergencial se a pandemia resistir ao nosso programa de vacinação em massa”, disse Guedes no dia 31 de maio de 2021, durante a 4ª edição do Brasil Investment Forum. Essa não foi a primeira vez que o ministro comentou sobre uma nova prorrogação do auxílio emergencial. Ele também abordou a questão em evento realizado pela Coalizão Indústria.

“O auxílio emergencial é uma arma que temos e que pode, sim, ser renovada. Se as mortes continuarem e as vacinas não chegarem, teremos que renovar”, explicou Guedes. Inclusive, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, já disse que o Congresso deverá avaliar a necessidade de conceder mais parcelas do auxílio emergencial. A ideia seria de aprovar mais um ou dois pagamentos em 2021.

“O que nos cabe agora, como homens públicos, responsáveis, dentro dessa responsabilidade social, mas obviamente sem olvidar da responsabilidade fiscal, é identificarmos se esses quatro meses do auxílio emergencial serão suficientes ou se precisaremos estender por mais um ou dois meses”, enfatizou Pacheco no BTG Pactual Brasil CEO Conference 2021.

Auxílio emergencial poderá ter novo valor em 2021?

O governo, pela medida provisória de nº 1.039, aprovou quatro parcelas do auxílio emergencial em 2021, com valores de R$ 150 a R$ 375. Como não houve abertura de novas inscrições, a Dataprev ficou responsável por analisar os cadastros antigos do programa, no sentido de conferir quem ainda tem direito aos pagamentos do auxílio emergencial 2021.

A nova rodada de pagamento está sendo destinada para integrantes do CadÚnico, beneficiários do Bolsa Família e cidadãos que receberam o auxílio emergencial em dezembro do ano passado. Como os valores são variáveis, as mães chefes de família recebem R$ 375, enquanto os que moram sozinhos têm direito às parcelas de R$ 150. Já os demais beneficiários fazem jus às cotas médias de R$ 250 por mês.

Entretanto, o presidente Jair Bolsonaro parece ter sido aconselhado a aumentar o valor das parcelas. A ideia seria de aprovar pagamentos mensais de R$ 400 para os beneficiários do auxílio emergencial. Essas informações foram apuradas pela jornalista Thaís Oyama, do portal UOL. O objetivo seria de reforçar o programa e, também, elevar a popularidade de Bolsonaro frente às eleições de 2022.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »