"Estatal boa é a que foi privatizada", diz Guedes

O ministro Paulo Guedes disse que “todo mundo sabe” a sua opinião sobre as estatais brasileiras, mas reforçou que Bolsonaro tem a “última palavra”. Saiba mais.

Privatização de estatal: enquadramento em Paulo Guedes conversando

Guedes também disse que Bolsonaro tem o direito de indicar outro nome para a presidência da Petrobras. - Foto: Palácio do Planalto

Durante entrevista para a rádio Jovem Pan, o ministro da Economia foi questionado sobre a troca do comando da Petrobras e o aumento no preço dos combustíveis. Paulo Guedes disse, em resposta, que “todo mundo” sabe o que ele pensa a respeito das empresas públicas. “Pra mim, estatal boa é a que foi privatizada”, afirmou na última terça-feira (02/03).

Em contrapartida, o chefe da pasta disse que a decisão sobre as privatizações cabe a Jair Bolsonaro. Mas o presidente sempre foi claro, disse ‘Petrobras, BB e Caixa eu não vendo agora’. Ele tem a última palavra”, complementou durante a mesma entrevista. Guedes também acrescentou que Bolsonaro tem o direito de indicar outro gestor para a presidência da Petrobras.

“Do ponto de vista político, é totalmente compreensível”, afirmou. Além do mais, o ministro confessou que o reajuste no preço dos combustíveis é visto, por parte da população, como responsabilidade do governo. Dessa maneira, a questão corresponde a um “problema político sério” e disse estar trabalhando no espaço que lhe cabe.

Privatização da Eletrobras será debatida pelo Congresso

O presidente Jair Bolsonaro já encaminhou ao Congresso uma medida provisória de abertura de capital. Seu objetivo é de viabilizar estudos para a privatização da Eletrobras. No momento da entrega, o chefe do Executivo estava acompanhado de ministros e auxiliares, tendo encontrado o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira.

Bolsonaro afirmou que as privatizações das estatais continuam sendo prioridade em seu governo. "Estou tendo a grata satisfação de retornar a essa Casa, agora trazendo uma medida provisória que visa a capitalização do sistema Eletrobras. Então, a Câmara e o Senado vão dar a devida urgência à matéria, até por ser uma medida provisória", explicou Bolsonaro durante o seu pronunciamento.

O texto sobre a privatização da Eletrobras estabelece que, ao final dos estudos, nenhum acionista privado contar com mais de 10% do capital votante da estatal. Essa MP também concede a autorização para que a Eletrobras garanta uma segunda oferta de ações da União.

A privatização da estatal começou a ser discutida em 2019. Na época, governo brasileiro entregou um projeto para desestatizar a Eletrobras. Essa proposta continua em tramitação, mas não conseguiu nenhum avanço desde então. De acordo com o novo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, a nova medida provisória, encaminhada em fevereiro de 2021, será analisada em caráter de prioridade.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »