Fies: Guedes cogita refinanciamento de dívidas e criação de “voucher”

Além do refinanciamento de dívidas com o Fies, Guedes também defendeu a criação de um “voucher” para estudantes de baixa renda. Entenda os detalhes.

O ministro Paulo Guedes, na última terça-feira (01/06), participou de uma audiência pública da Comissão de Educação na Câmara dos Deputados. Durante a ocasião, ele sugeriu medidas para auxiliar os estudantes que estão endividados com as parcelas do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). Guedes cogitou a possibilidade de um refinanciamento das dívidas pendentes.

“O jovem que está começando a sua vida consegue pegar um empréstimo no Fies. Aí quando ele vai entrar no mercado de trabalho, tem uma pandemia dessa, que derruba emprego, derruba o PIB, não tem criação de empregos. Se o jovem é realmente de família muito pobre, ele não pode começar a vida com essa espada sobre a cabeça dele (...)”, argumentou o ministro da Economia durante a audiência.

Ele também defendeu a criação de um “voucher”, no sentido de garantir o acesso das classes mais baixas ao ensino superior. “Da mesma forma que estamos estudando planos de reestruturação para empresas que foram atingidas pela pandemia, por que não também o Fies? Por que não podemos construir juntos uma coisa desse tipo, dentro dos parâmetros fiscais?”, sugeriu em seu pronunciamento.

Sobre o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies)

O Fies é um programa governamental, que foi criado para ajudar os estudantes no financiamento de cursos de nível superior em universidades privadas. Em contrapartida, não é qualquer pessoa que pode ser contemplada com o benefício. É necessário ter renda familiar de até dois salários mínimos e meio (cerca de R$ 2.700 de acordo com o valor vigente em 2021).

Além do mais, os estudantes devem possuir um fiador para conseguir a aprovação no Fies. Vale destacar que é possível solicitar por essa ajuda em qualquer período do ano, não necessariamente antes de iniciar a graduação na faculdade. Em termos gerais, o Fies varia de acordo com a necessidade dos estudantes e é baseado em algumas fases:

  • Utilização: enquanto o estudante estiver na faculdade, é necessário pagar uma taxa de R$ 150,00 por trimestre. Esse valor é referente aos juros do Fies;
  • Carência: ao finalizar a graduação, os estudantes têm um prazo de 18 meses para garantir o dinheiro a ser pago para o Fies. Durante o período, continuará sendo necessário o pagamento de R$ 150,00 a cada três meses;
  • Amortização: encerrado o prazo de carência, os estudantes podem parcelar o valor que falta para pagar em, no máximo, três vezes em relação ao tempo do curso. Por exemplo, se a graduação durou cinco anos, o período para quitar o financiamento será de 15 anos.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »