Governo autoriza aumento de até 10% nos remédios nesta quinta-feira

Aumento de até 10% nos remédios afetará diversos medicamentos e começarão no dia 01 de abril de 2021. Saiba o tamanho do impacto no seu bolso.

A partir do dia 01 de abril de 2021 os medicamentos ficarão mais caros. O governo autorizou um aumento de até 10% nos remédios em todo o país. A decisão já foi publicada no Diário Oficial da União.

A autorização partiu da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). Segundo o que foi definido, o ajuste máximo permitido é de 10,08%, sendo que o aumento varia conforme classe terapêutica do remédio.

Medicamentos de nível 1 terão o aumento máximo (10,08%), os de nível dois poderão chegar a 6,79% e os de nível 3 ficarão até 6,79% mais caros.

Por qual motivo haverá aumento de até 10% nos remédios

A principal justificativa para o aumento no preço dos medicamentos é que os custos de importação dos produtos considerados como matérias-primas para a fabricação dos remédios subiram no mercado. Houve uma demanda acentuada devido à pandemia de COVID-19.

Além disso, algumas farmacêuticas justificam que o dólar, em alta no país, também contribuiu para o reajuste. Como os materiais comprados no exterior são vendidos na moeda americana, o real, mais desvalorizado, impacta nos custos.

Governo chegou a congelar o aumento temporariamente

Apesar do aumento estar ocorrendo agora, ele já era esperado. Durante a pandemia, o governo chegou a congelar as tentativas de aumento dos remédios por 60 dias. Como o prazo previsto se esgotou, o reajuste acabou ocorrendo.

Ao mesmo tempo, vale lembrar que, no dia 15 de março, a própria CMED definiu em 4,88% o Fator de Ajuste de Preços Relativos entre Setores, conhecido como Fator Y. Ou seja, o aumento dos remédios pode ficar acima da própria inflação e impactar ainda mais o bolso do consumidor. A projeção da inflação para 2021 está em 4,60%.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »