Governador aprova o Bolsa do Povo em SP; pagamentos de até R$ 500

Pelo Bolsa do Povo, a ideia é unificar os benefícios que já existem no estado de São Paulo, além de aumentar o valor dos repasses. Vale-gás também está incluso.

O governador do estado, João Doria, sancionou o projeto que cria o programa Bolsa do Povo em São Paulo. Conforme informações preliminares, a ideia é de unificar os benefícios que já existem no estado, além de aprimorar o alcance para atender aproximadamente 500.000 famílias em 645 municípios. Os novos pagamentos, ao que tudo indica, devem variar entre R$ 100 e R$ 500.

“O Bolsa do Povo é o maior programa social da história de São Paulo. Ao lado do enfrentamento da pandemia, da preservação da vida, da obediência à ciência, estamos também acompanhando o crescimento acelerado da pobreza, da vulnerabilidade, em São Paulo e no Brasil (...)”, destacou o governador ao comentar sobre o novo programa social, que havia sido anunciado no dia 07 de abril de 2021.

Com a sanção do Bolsa do Povo, o governo de São Paulo ficou autorizado a criar novas ações sociais ou, também, aprimorar os benefícios já existentes. Um comitê gestor, inclusive, já foi designado para gerir e implementar as diretrizes e normas do Bolsa do Povo, conforme informações do portal do governo. Apenas para o ano de 2021, estão previstos recursos de até R$ 1 bilhão para o programa. 

Inclusive, por meio do Bolsa do Povo, o governo estadual criou o Programa Vale-Gás de São Paulo. Essa iniciativa visa pagar três parcelas de R$ 100 para cerca de 500 mil pessoas, no sentido de ajudar na aquisição do gás de cozinha. As unidades familiares que foram selecionadas, dessa forma, constavam no CadÚnico até o dia 19 de fevereiro de 2021. Abaixo, você confere mais informações sobre o Bolsa do Povo o o benefício de vale-gás em SP.

Novo programa estadual de São Paulo; entenda o “Bolsa Povo”

O programa Bolsa do Povo, em linhas gerais, foi elaborado para amenizar as crises econômicas em São Paulo. Em breve, haverá a disponibilização de cartões físicos para todos os beneficiários do estado. Também será possível obter a versão virtual para que os usuários possam movimentar o dinheiro sem a necessidade de sacá-lo, assim como já acontece no aplicativo Caixa Tem.

Por meio de um cadastro único, o projeto tem a intenção de implementar novas iniciativas para auxiliar a população vulnerável. O Bolsa do Povo, ao todo, deverá reunir e ampliar os seguintes programas já existentes de São Paulo:

  • Renda Cidadã (Assistência Social): ampliação no número de beneficiários e no valor dos repasses: de R$ 80 para R$ 100;
  • Aluguel Social (Habitação);
  • Bolsa Trabalho (Emprego);
  • Talento Esportivo (Incentivo);
  • Auxílio Via Rápida (Qualificação Profissional);
  • Ação Jovem Bolsa Talento: aumento no valor dos repasses (de R$ 80 para R$100). Esse benefício é voltado para que os estudantes de 15 a 24 anos permaneçam nos estudos.

Governo estadual vai pagar Vale Gás em SP; parcelas de R$ 100

O governo estadual anunciou a criação do programa Vale Gás em São Paulo. Conforme informações preliminares, a iniciativa visa pagar três parcelas de R$ 100 para mais de 500 mil pessoas que moram no estado. 

Confira quem terá acesso ao Vale Gás de SP:

  • Unidades familiares inscritas no CadÚnico que não façam parte do Bolsa Família;
  • Moradoras de comunidades carentes e com renda mensal per capita de até R$ 178.

Não haverá abertura de inscrições no Vale Gás de SP. Para saber se foi selecionado, o interessado deve fazer uma consulta no site do programa. Essa página mostra um link que ao, ser clicado, redireciona o cidadão para a consulta no site do Bolsa do Povo.

As primeiras parcelas do Vale Gás em SP devem começar a ser pagas no dia 20 de julho de 2021. Até então, o governo estadual não informou quando serão pagas as outras duas parcelas do benefício.

Sobre o Bolsa Trabalho e mais detalhes a respeito do projeto

O governo de São Paulo também deverá contratar cerca de 20 mil pais e mães de estudantes das escolas públicas. Eles devem trabalhar em jornadas de quatro a oito horas diárias, no sistema de ensino estadual (Bolsa Trabalho). As remunerações serão provavelmente definidas no valor de R$ 500.

“Nós estamos ampliando os valores investidos nos programas sociais para R$ 1 bilhão já em 2021”, explicou o vice-governador Rodrigo Garcia, que deverá ficar responsável pela organização do programa Bolsa do Povo.

A sanção do projeto, além do mais, incorporou sugestões de deputados, como: priorização das mulheres vítimas de violência doméstica e mães provedoras do lar. "O projeto é importante principalmente para as pessoas que não têm reserva financeira nenhuma para suportar a crise", disse deputado Vinicius Camarinha, líder do governo na Alesp.

Por outro lado, o deputado Emídio de Souza acredita que o Bolsa do Povo não será suficiente, porque a população de SP precisará de um apoio mais robusto. "A proposta dá conta de uma parcela muito pequena de quem está passando dificuldade em São Paulo. Nós tentamos, com tática parlamentar e com emendas, alterar essa proposta. Como não conseguimos, votamos a favor daquilo que tínhamos", informou.

Dória, em contrapartida, defendeu o Bolsa do Povo em São Paulo e explicou que o projeto poderá evitar fraudes e ser mais assertivo, "justamente por estar estruturado [em programas já existentes no estado], o programa identifica com clareza as pessoas que precisam de apoio".

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »