Governo do RJ ganha prêmio por ações afirmativas em concursos públicos

Prêmio Camélia da Liberdade 2013 objetiva valorizar e incentivar instituições diversas a desenvolverem projetos de ações afirmativas.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro foi um dos contemplados do Prêmio Camélia da Liberdade 2013 - Ação Afirmativa, Atitude Positiva. O Secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, representando o Governador Sérgio Cabral, recebeu o prêmio, na categoria Poder Público, pelo decreto 43.007, de 07 de junho de 2012, que estabeleceu a reserva de cota de 20% das vagas dos concursos públicos do Estado para negros e índios.

- Foi uma satisfação receber esse prêmio, porque eu votei, à época que era deputado, pela lei de reserva de cotas para negros e índios em concursos públicos do Estado. Esta iniciativa colocou o Rio de Janeiro na vanguarda e já houve concursos sob essa lei e servidores empossados que foram beneficiados por essa iniciativa - explicou o secretário.

A ministra de Igualdade Racial, Luisa Bairros, participou da cerimônia de premiação, que reconhece ações que promovam a ação afirmativa como forma de contribuição para a superação das desigualdades raciais e sociais. Ela falou sobre a conquista do Governo do Estado, contemplado na categoria Poder Público:

- Premiar o Governo do Estado foi de extrema importância, porque dá visibilidade a essa iniciativa, que é a reserva de vagas para negros e índios, que deve ser copiada por outros estados. Precisamos de ações que deixem evidente que a política de igualdade racial precisa ter compromisso e empenho das três esferas de governo. O Camélia é um prêmio que dá um sentido positivo para as ações de pessoas e instituições que lutam pela igualdade racial - disse a ministra.

O Camélia da Liberdade é uma iniciativa do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) e patrocinado pela Petrobras. Esta é a 7ª edição do evento, que tem por objetivo valorizar e incentivar instituições públicas, universidades, governos, empresas e veículos de comunicação a desenvolverem projetos de ações afirmativas, de valorização da diversidade e inclusão étnica nos seus quadros, além de premiar personalidades que apresentam trajetórias vinculadas à luta pela promoção da cultura e identidade negra.

As informações são da Subsecretaria de Comunicação Social do Governo do Rio de Janeiro (editado)

Compartilhe