Governo já identificou mais de 160 mil fraudes no auxílio emergencial

A CGU pretende divulgar uma lista com os mais de 50 milhões de cadastrados em até 15 dias.

fraudes no auxílio emergencial: a foto mostra um celular com o app do auxílio emergencial aberto

Governo busca identificar fraudes no pagamento do benefício. - Foto: Concursos no Brasil

O ministro da CGU, Wagner Rosário, em entrevista coletiva concedida no Palácio do Planalto na noite de 26/05, disse que a Controladoria-Geral da União (CGU) já identificou mais de 160 mil possíveis fraudes no recebimento do auxílio emergencial de R$ 600.

Segundo Rosário, proprietários de veículos que valem mais de R$ 60 mil, gente que fez doações acima de R$ 10 mil nas últimas campanhas eleitorais, pessoas que possuem domicílio fiscal no exterior e até donos de embarcações de luxo estão relacionados a possíveis irregularidades no recebimento do benefício.

A CGU pretende divulgar uma lista com os mais de 50 milhões de cadastrados em até 15 dias. "Em 12 a 15 dias vamos estar colocando em transparência toda a base do recebimento do auxílio emergencial. Todas as pessoas que vêm recebendo para que o cidadão possa ele mesmo fiscalizar", disse Rosário.

Outras possíveis fraudes relacionadas ao auxílio emergencial já foram sinalizadas, como o caso dos militares que receberam o pagamento do benefício — alguns, agora, terão que devolver o valor; e até de jovens de classe média que receberam, de forma indevida, os R$ 600.

Segundo a Caixa, somando os valores da primeira e da segunda parcela do auxílio, mais de R$ 60 bilhões já foram pagos a mais de 55 milhões de brasileiros. Com novas liberações de crédito destinadas ao Ministério da Cidadania, estima-se que o custo do programa alcance R$ 152,6 bilhões.

Quem tem direito de receber o auxílio emergencial

O auxílio de R$ 600 tem o objetivo de fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise do novo coronavírus.

O benefício pode ser solicitado por:

  • Maiores de 18 anos;
  • Quem não tenha emprego formal;
  • Quem não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego (em vigor) ou de programa de transferência de renda federal;
  • Inscritos no CadÚnico ou no Bolsa Família;
  • Cidadão com renda mensal per capita de até meio salário mínimo ou a renda mensal familiar de até três salários mínimos;
  • Microempreendedor individual (MEI), contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria ou trabalhador informal (sem carteira assinada).
Andressa Xavier
Diretora de redação
Gestora da Informação por formação, Coordenadora de Conteúdo por paixão! Formada pela UFPR, trabalha com produção de conteúdos para internet desde 2007 quando ingressou em uma das maiores empresas de tecnologia do país, a NZN. Hoje, no Concursos no Brasil, ajuda o time a se desenvolver e entregar conteúdos elaborados sob medida para os leitores. Ama cachorros, viajar e falar italiano.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »