Governo libera 156 serviços públicos na internet

Governo Federal já tinha a intenção de digitalizar serviços públicos para melhor acesso do cidadão. Com a pandemia de coronavírus o processo foi intensificado.

serviços públicos na internet: notebook, tablet e smartphone lado a lado sobre uma mesa

O objetivo é que todos os serviços possam ser realizados online. - Foto: Pexels

Desde janeiro vários serviços públicos foram digitalizados graças a Estratégia de Governo Digital. Por causa do isolamento social gerado pela pandemia de coronavírus, viu-se a necessidade de evitar aglomerações em agências e postos de atendimento. Sendo assim, o Governo Federal liberou mais 156 serviços na internet desde março, totalizando 729 funções online disponíveis para os cidadãos.

Segundo o Ministério da Economia, a ideia é atingir 100% de digitalização até o final de 2022. Acredita-se que, a partir disso, poderá haver uma economia de R$ 38 bilhões entre 2020 e 2025. Isso só será possível porque os novos serviços online possibilitarão:

  • Eliminar o uso de papel;
  • Reduzir a burocracia;
  • Diminuir erros;
  • Evitar fraudes.

Além disso, vários servidores poderão ser realocados de tarefas operacionais para tarefas especializadas, portanto otimizando o trabalho. Por exemplo, 7,3 mil profissionais ficavam envolvidos com a solicitação do seguro-desemprego. Entretanto, com a digitalização do serviço, são necessários apenas 630 funcionários.

Outro ponto que irá poupar dinheiro são as locações. Uma vez que o atendimento presencial pode ser substituído, não será preciso manter tantos pontos físicos de atendimento. Vale ressaltar que também é uma forma de economia para o próprio cidadão que não será obrigado a se deslocar e poderá fazer todas as suas solicitações pela internet.

Grandes órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já estão incluídos nesse projeto. A Anvisa tem 113 serviços digitalizados, entre eles:

  • Reclamações/denúncias na Ouvidoria;
  • Consulta a informações no Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC);
  • Emissão de Certificação de Livre Prática e Certificado Sanitário de Embarcações.
  • Priorização de serviços relacionados à Covid-19;
  • Utilização do serviço PagTesouro.

Dos novos serviços pela internet lançados pelo Governo Federal é dado um destaque especial para o auxílio emergencial. Até a última sexta-feira (5), a Caixa Econômica havia processado mais de 100 milhões de pedidos. Já foram beneficiados cerca de 58 milhões de brasileiros. Enquanto a terceira parcela dos R$ 600 é aguardada, o Ministério da Economia discute a prorrogação do benefício por mais dois meses.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »